Plano migratório de genro de Trump não impressiona ativistas

Foto12 Jared Kushner Plano migratório de genro de Trump não impressiona ativistas
Há vários meses, Jared Kushner vem elaborando um plano que visa reformar o sistema migratório atual dos EUA

Jared Kushner tem se reunido com vários grupos de várias vertentes no debate migratório e disse que apresentará brevemente um plano a Trump

A proposta de reforma migratória de Jared Kushner, genro e conselheiro sênior do Presidente Donald Trump, ainda falta ser concluída e divulgada, entretanto, já é vista com ceticismo por parte de alguns grupos defensores dos imigrantes. Há vários meses, ele vem elaborando um plano que visa reformar o sistema migratório atual do país, apropriando-se de um tema que de outra forma pertenceria ao conselheiro sênior e defensor ferrenho do limite na imigração legal, Stephen Miller.

Kushner tem se reunido com vários grupos de várias vertentes no debate migratório e disse na semana passada que apresentará brevemente um plano a Trump. Tal pronunciamento tem resultado em mais dúvidas do que confiança entre os apoiadores do limite na imigração legal.

“Nós não esperamos ficar felizes”, disse Roy Beck, presidente da NumbersUSA, um grupo quer defende a redução na imigração.

O NumbersUSA estava entre os grupos que participaram de reuniões na Casa Branca, no início de 2019, quando o assunto abordado foi a reforma migratória no país. Semana passada, o grupo divulgou uma propaganda contra a manutenção do fluxo migratório nos níveis atuais; o que é que a proposta de Kushner tenta fazer, argumentando que isso prejudicaria os salários dos trabalhadores nos EUA.

“Já não é hora de reduzir os números na imigração e assim permitir que os salários aumentem mais?” Questiona o narrador no anúncio.

Durante uma entrevista no Time 100 Summit, semana passada, Kushner disse que estava montando “uma proposta realmente detalhada” para reformar o sistema migratório dos EUA, entretanto, não revelou nenhum dos componentes do plano. Ele acrescentou que ele e a equipe dele estarão apresentando a versão final do plano a Trump, que tende a sugerir mudanças.

“O Presidente pediu-me para trabalhar nesse tópico”, disse Kushner. “Este não é um dos tópicos que eu vim à Washington-DC para trabalhar”.

Um funcionário sênior da administração atual disse recentemente que Kushner focalizará na segurança da fronteira e imigração ilegal.

A segunda parte da proposta aborda como a proposta migratória deveria ser. Com 185 tipos diferentes de vistos, o sistema atual é fácil de ser ludibriado, dizem as autoridades. Esta proposta manteria, por enquanto, manteria a imigração nos níveis atuais, mas mudaria para um sistema baseado no mérito como no Canadá, Austrália e Nova Zelândia. Previamente, Trump havia elogiado esses sistemas como exemplo do caminho que deveria ser seguido pelos EUA.

Para Jessica Vaughan, diretora de estudos políticos do Centro de Estudos Migratórios (CIS), um grupo que apoia a redução na imigração legal, a abordagem ampla poderia morrer antes de chegar a qualquer lugar.

“Se nós quisermos implantar algo que irá funcionar, é necessário que seja feito na sequência adequada. O problema urgente precisa ser resolvido primeiramente”, disse Vaughan, referindo-se à fronteira dos EUA com o México, que tem vivenciado a disparada de pessoas detidas por patrulheiros. “A nossa preocupação principal é a de que esta proposta tente dar o pulo maior que as pernas”, concluiu.

Fonte: Brazilian Voice

Comentários Facebook