Líderes espirituais e o trabalho com a comunidade brasileira no Sul da Flórida

No mês no maio, o presidente Donald Trump foi à imprensa pedir a reabertura de todas igrejas e templos de orações que haviam fechado por causa da Covid-19 nos EUA. Mas a decisão sobre o funcionamento desses locais em tempos de pandemia cabe a cada um dos estados.  

Na Flórida, o governador Ron DeSantis determinou, por meio de uma ordem-executiva, que igrejas e templos de adoração são serviços essenciais. Isso quer dizer que eles podem permanecer abertos desde que sigam as regras gerais de saúde pública. No caso das igrejas católicas do Sul da Flórida, as orientações para as celebrações com os fiéis, no contexto da pandemia da Covid-19, também devem estar de acordo com as instruções da arquidiocese de Miami.  

O padre Márcio Toniazzo, da St. Vincent Catholic Church, em Margate, afirmou que a paróquia tem cumprido todos os protocolos como distanciamento social, uso de máscaras, sanitização dos bancos e oferta da comunhão aos fiéis dentro dos carros. 

“Considerando que a pessoa tem boa saúde, é importante a participação nas atividades religiosas” disse o padre ao AcheiUSA. Segundo o religioso, as atividades da igreja, que aos domingos de manhã chegavam a reunir cerca de 800 brasileiros nas missas em português, agora reúnem cerca de 200. Os fiéis com mais de 65 anos que integram o grupo de maior risco da Covid-19 têm encontros separados e algumas celebrações são transmitidas pela internet.  

“Pode ser perigoso ir à igreja se não houver regras de segurança.  Este é o momento em que mais precisamos de Deus porque estamos frágeis, é em Deus que fortalecemos nossa imunidade” disse o padre. 

O posicionamento do padre Toniazzo é compartilhado por Marisa Libório, líder do Centro Espírita KSSF ( Kardecian Spiritist Society of Florida). 

Segundo Marisa, o local que funciona há 18 anos em Deerfield Beach tem sido fundamental para os cerca de 200 brasileiros, que frequentam o centro semanalmente, enfrentarem a pandemia. 

“Criamos um projeto para auxiliar as pessoas que ficam doentes. Temos médicos e enfermeiros que prestam orientações se a pessoa apresenta sintomas e tem receio de ir ao hospital por medo de piorar, ou até por ser um imigrante ilegal e se sentir inseguro” disse.  

O KSSF passou a transmitir desde palestras aos tratamentos mediúnicos pela internet, e aos domingos recebe cerca de um quarto dos frequentadores usuais, seguindo as regras indicadas pelas autoridades públicas de saúde.  “O mundo virtual está estabelecido, temos recursos para continuar. Tudo isso é para nossa evolução” disse. 


Igrejas evangélicas

A Primeira Igreja Batista da Flórida (PIB), em Pompano Beach, teve um corte na participação presencial de pelo menos 800 pessoas durante os tradicionais cultos de quarta-feira, e proibiu a participação de crianças menores de sete anos. 

Para apoiar os pais a lidar com os adolescentes durante o período da quarentena, a igreja criou um grupo coordenado por psicólogos.  

“Os pais nos procuraram relatando casos de transtorno de pânico, depressão e ansiedade nos jovens” explica Débora Andrade, Conselheira do Grupo de Adolescentes.  Uma das medidas adotadas pelo grupo foi engajar os adolescentes em atividades beneficentes como o apoio na distribuição de alimentos para a comunidade carente. Semana passada, a PIB bateu a marca de mil cestas básicas doadas. 

Reuniões para orações nas casas dos fiéis, conhecidas como células, foram 100% transferidas para o ambiente online, assim como a grande maioria dos cultos. 

 “Enquanto uma grande comunidade nós estamos comprometidos em achatar a curva de contágio da Flórida, principalmente em Broward e Miami. A igreja é atividade essencial, e por ser essencial temos que fazer a nossa parte” finalizou o pastor Silair Almeida, líder da PIB.

Fonte: AcheiUSA

Comentários Facebook

Marcações: