Prefeito de Nova York pede a museu que recuse cerimônia para homenagear Bolsonaro

Os comentários do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, sobre uma homenagem a Jair Bolsonaro, escolhido como “Pessoa do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, colocaram em risco a realização da cerimônia de premiação, marcada para o dia 14 de maio no American Museum of Natural History, em Nova York.

Bill de Blasio disse em entrevista à rádio WNYC na sexta-feira (12) que o presidente brasileiro “é um ser humano muito perigoso, não só por causa de suas posições abertamente homofóbicas e racistas, mas porque ele é, infelizmente, a pessoa com a maior capacidade para definir o destino da Amazônia no futuro, e se a Amazônia for destruída, uma vez que ela parte do nosso ecossistema global todos nós estaremos em perigo”.

Por sua vez, a direção do museu afirmou em nota que a reserva foi feita antes que o museu soubesse quem seria o homenageado, e que agora está  “muito preocupada e avaliando as opções”. O prefeito de Blasio pediu à direção do museu que não receba o presidente brasileiro.

O prêmio “Pessoa do Ano” é realizado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, com sede em Nova York. Em nota, a Câmara justificou a escolha de Bolsonaro como um “reconhecimento de sua intenção fortemente declarada de fomentar laços comerciais e diplomáticos mis próximos entre Brasil e Estados Unidos e seu firme comprometimento em construir uma parceria forte e duradoura entre as duas nações.”

Fonte: AcheiUSA

Comentários Facebook