Policial condecorado é acusado de pornografia infantil na FL

Foto18 Matthew Enhoffer Policial condecorado é acusado de pornografia infantil na FL
No celular de Matthew Enhoffer foram encontradas imagens e vídeos pornográficos infantis, incluindo crianças menores de 12 anos em cativeiro, estupradas e forçadas a realizar atos sexuais

Caso seja considerado culpado, Matthew Enhoffer, de 34 anos, poderá ser sentenciado entre 5 a 20 anos de detenção

Um policial do Departamento de Polícia de São Petersburgo (FL) foi preso na quinta-feira (19) e acusado pela distribuição e posse de pornografia infantil. O caso foi investigado pelo Departamento Federal de Investigações de Segurança Interna (HSI) do Departamento de Imigração & Alfândega (ICE).

De acordo com a denúncia, um internauta que usava o nome de usuário: “thehoff727” distribuiu pornografia infantil no Snapchat, um aplicativo de comunicação móvel na Web. Investigações posteriores revelaram que o endereço de IP e as informações do assinante associadas a essa conta estavam vinculados à residência de Matthew Enhoffer, de 34 anos, em São Petersburgo (FL), informou um policial do Departamento de Polícia de São Petersburgo.

Na quarta-feira (11), agentes especiais do HSI executaram um mandado de busca na casa de Enhoffer e apreenderam vários dispositivos eletrônicos. Um exame do celular do policial revelou uma coleção de imagens e vídeos pornográficos infantis, incluindo várias imagens e vídeos envolvendo crianças menores de 12 anos em cativeiro, estupradas e forçadas a realizar atos sexuais.

O caso está sendo processado pelo Promotoria Pública do Distrito Central da Flórida, pela promotora pública assistente, Lisa M. Thelwell. Se condenado, Enhoffer enfrenta uma pena mínima obrigatória de 5 anos e até 20 anos na prisão federal.

Uma queixa criminal é meramente uma alegação de que um réu cometeu uma ou mais violações da lei criminal federal, portanto, presume-se que todo réu é inocente até que se prove o contrário.

A investigação foi conduzida pela “Operação Predator” do HSI, uma iniciativa internacional para proteger crianças de predadores sexuais. Desde o lançamento da “Operação Predator” em 2003, o HSI prendeu mais de 19 mil indivíduos por crimes contra crianças, incluindo a produção e distribuição de material de exploração infantil on-line, viagens para o exterior por sexo com menores e tráfico sexual de crianças. No ano fiscal de 2018, mais de 3 mil (3191) pedófilos foram presos por agentes especiais do HSI sob essa iniciativa e mais de 850 (859) vítimas foram identificadas ou resgatadas.

O HSI incentiva o público a denunciar suspeitas de pedofilia e qualquer atividade suspeita através da hotline: 1-866-DHS-2-ICE, cujos investigadores atendem 24 horas por dia. Fora dos EUA e Canadá, as denúncias podem ser feitas através do: (802) 872-6199. Usuários com deficiência auditiva podem ligar para o TTY: (802) 872-6196.

A suspeita de exploração sexual infantil ou crianças desaparecidas pode ser relatada ao Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas, um parceiro da “Operação Predator”, por meio de sua linha direta gratuita de 24 horas: 1-800-THE-LOST.

Para obter informações adicionais sobre suspeitos de serem predadores sexuais, faça o download do aplicativo para smartphones “Operation Predator” do HSI ou visite a página de alertas online de suspeitos. O HSI é um dos fundadores da “Virtual Global Taskforce”,  uma aliança internacional de agências policiais e parceiros do setor privado que trabalham juntos para prevenir e impedir o abuso sexual infantil online.

Fonte: Brazilian Voice

Comentários Facebook