Manga com leite, a arma do genocídio comunista

Manga com leite mata. As evidências jorram aos borbotões, é tão óbvio quanto as fraudes nas urnas eletrônicas. Ainda assim, a mídia mentirosa insiste em dizer que misturar manga com leite não faz mal.

Depois de mais de três anos infiltrado na extrema imprensa, finalmente encontrei uma brecha para revelar-lhes a verdade.

É um absurdo o que estão fazendo com a juventude do nosso país. Supermercados vendem leite e manga, às vezes em corredores vizinhos, sem nenhum alerta sobre o perigo potencialmente letal do consumo dessas duas substâncias combinadas.

Manga com leite mata, e eu posso provar. Tenho caixas e mais caixas de documentos incontestáveis, informação que o establishment mantém em sigilo para manipular a opinião pública. Dossiês produzidos pela CIA e pelo saudoso SNI, guardados como segredo de estado até agora.

Quem ganha com isso? Ora, deixe de ingenuidade: as fazendas de manga e os pecuaristas leiteiros, negócios de fachada para uma rede global de aliciamento de jovens para o Partido Comunista Chinês.

Sim, porque manga com leite mata, mas essa não é a intenção dos conspiradores. Mata porque causa dependência, e alguns incautos se entregam ao vício sem freios morais nem vergonha.

Em doses moderadas, a combinação de leite e manga penetra no DNA do núcleo celular e reprograma a memória dos neurônios do indivíduo. Para simplificar aqui –o assunto é muito complexo, eu o estudo há 30 anos– funciona mais ou menos como o wi-fi.

A pessoa reprogramada se conecta a uma rede global controlada pelos comunochinas e passa a receber comandos enviados desde o comitê central de Pequim. Tenho gavetas cheias de provas e irei mostrá-las em ocasião oportuna.

Os relatos que eu recebo todo dia, no nosso grupo de Whatsapp, são de cair o queixo.

Uma amiga em quem eu confio 100% ficou sabendo de um pai de família que saiu do McDonald’s com um sorvete na mão, em Belém do Pará. Ele foi acidentalmente atingido por uma manga, que respingou na sobremesa.

O pobre homem deu uma colherada e saiu a falar sandices. Afetado pela manga com leite, não consegue mais pronunciar o nome do nosso presidente –sempre que tenta, sai algo como “bol… bols… BOZO”. Uma lástima.

Mais grave é o caso da prima de outra amiga, católica devota, que tomou suco de manga feito num liquidificador sujo de leite. Ela saiu correndo da casa de sucos, que fica em Copacabana, dizendo que ia tomar a vachina do Ditadória em São Paulo.

Pior ainda é o efeito da campanha perversa da mídia. Um conhecido de um amigo nosso do clube de tiro, cidadão de bem, leu no jornal que não havia problema em comer manga e beber leite. Ele acreditou e, diz esse nosso amigo, cravou 50 na última eleição.

É por essas e por outras que você não deve crer em tudo o que lê. Muito menos quando quem escreve é um agente canhoto, disfarçado de colunista de gastronomia, que usa a Folha para disseminar fake news.

(Siga e curta a Cozinha Bruta nas redes sociais.  Acompanhe os posts do Instagram, do Facebook  e do Twitter.)

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook