No Sul, Praia da Guarita reserva surpresas em área preservada

Vamos acabar de uma vez por todas com aquele blá-blá-blá de que praia de gaúcho fica em Santa Catarina. O Rio Grande do Sul tem, sim, um belo areal. E ele atende pelo nome de praia da Guarita. 


Fica no município de Torres, o único lugar do litoral rio-grandense-do-sul agraciado com morros na orla.


Justamente por isso a cidade —com uma população inferior a 40 mil pessoas, mas que triplica na alta temporada— assim foi batizada, em homenagem a rochedos de origem vulcânica que ali afloraram.


É entre alguns deles, a Torre Sul e a Torre do Meio, onde fica a praia da Guarita, lugar que dá nome ao parque criado em 1971, numa área de convívio desenhada por enseadas e penhascos.


O local costuma atrair uma a juventude gaúcha que não optou por viajar para Punta del Este nem para as praias de Florianópolis neste verão.


Guarita é banhada por águas próprias para o surfe e esportes náuticos —em geral, costumam ser geladas. Nesta época do ano, porém, tornam-se mais convidativas ao banho.


A melhor maneira de apreciar o visual da região é chegar caminhando. Há uma trilha que sai do fim do calçadão da praia do Cal —esta já bem ocupada por habitações.


O Parque da Guarita também oferece estacionamento (R$ 20 para carro e R$ 10 para moto, na alta temporada).


Torres é um balneário concorrido, preparado para o turismo. Há opções de pousadas e hotéis e bons restaurantes.


Ao contrário do que muita gente pode imaginar, o verão no Rio Grande do Sul costuma ser bastante ensolarado.


Observando o mapa do Brasil, é fácil perceber que o litoral gaúcho segue praticamente em linha reta. São aproximadamente 620 km com faixas de areia contínuas.


Esse aspecto da costa ganha outros contornos, mais atrativos, em Torres. Ali, ele torna-se mais parecido com o encontrado em Santa Catarina. 


O relevo da cidade de Torres marca o início da Serra Geral, uma formação geológica de rochas magmáticas.


Nessa região, é possível tomar um banho de mar e subir até os cânions de Aparados da Serra e Serra Geral, a cerca de 70 km, e conciliar dois espetáculos da natureza numa só viagem.



Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook