Temer resistiu a ‘faxina’ na Caixa por autopreservação política

A resistência de Michel Temer até anunciar o afastamento por 15 dias dos dirigentes da Caixa investigados por corrupção e outras irregularidades reforça a lógica de autopreservação política que se tornou marca de seu mandato. O episódio mostra, mais uma vez, que o presidente vai até o limite para tentar blindar o grupo que o mantém no poder.
Leia mais (01/17/2018 – 13h09)