VT Responde: Tailândia, Chicago e Inglaterra

Os imperdíveis de Tailândia, Camboja, Laos e Vietnã. Passeios em Chicago para quem tem um dia na cidade. Cursos de inglês na Inglaterra para adultos na faixa dos 50 anos. Sejam quais forem a idade e o programa, a VT tem dicas para a sua melhor viagem

Por Fabrício Brasiliense (edição)

access_time 16 dez 2016, 08h02 – Publicado em 2 maio 2013, 14h15

Quais são os imperdíveis de Tailândia, Camboja, Laos e Vietnã? E a melhor época para ir? Devo levar dinheiro, dólar ou cartão de débito recarregável?

— Rosa Raquel Rodel, Sorocaba, SP

O colaborador da VT Eduardo Petta, que há três anos mora na Ásia com a família e conhece boa parte da região, dá o caminho. “Os quatro países cabem na mesma viagem desde que você tenha ao menos um mês de férias. A melhor época para ir é na estação seca, de novembro a março. Se você gosta de praias, privilegie o sul da Tailândia, mas não perca tempo em Phuket, muvucada e cara. A Praia de Railay, na província de Krabi, é mais descolada, low-profile e bonita. Em Bangcoc, a capital, imperdíveis são o mercado flutuante e os templos budistas de Wat arun e Wat Phra Kaew, que guarda o Buda de esmeralda e o palácio da família real. No Laos, em Luang Prabang, não perca o bonito ritual milenar dos monges mendicantes que saem às ruas todas as manhãs vestindo trajes cor de laranja. No Camboja, inclua Siem Reap, onde fica o complexo de templos de Angkor Wat.” Em Hanói, no Vietnã, a repórter da VT Laura Capanema, que viajou por lá, recomenda se perder pelas ruelas do Centro antigo, com suas centenas de barraquinhas que vendem de echarpes de seda a comida. Os restaurantes Ly Club (lyclub.vn/hanoi) e Bobby Chinn (bobbychinn.com) valem a visita. E tem mais: “No Vietnã, não pode faltar a Baía de Há Long, cercada por formações rochosas e banhada por água verde-esmeralda. Já o vilarejo de Sapa, na fronteira com a China, tem encantadores terraços de arroz. Ho Chi Minh, a antiga Saigon, guarda resquícios da guerra do Vietnã. Lá perto, em Cu Chi, é muito curioso, ainda que claustrofóbico, visitar a malha de túneis subterrâneos que serviram de abrigo para os guerrilheiros vietcongues.” Sobre dinheiro, leve um pouco de dólares, cartão de débito recarregável para saques e o de crédito para emergências.

Vou fazer uma conexão em Chicago e terei um dia inteiro na cidade. O que dá para conhecer?

— Dalila Reis, Itumbiara, GO

O analista de sistemas Fred Marvila, autor do blog de viagens Sundaycooks (sundaycooks.com), revirou Chicago por uma semana e tem dicas. “Ao desembarcar em O’Hare, busque as placas “CTA Trains” ou “Trains to City”, que levam à estação de trem no subsolo do aeroporto. Compre o passe de um dia (US$ 10), que dá direito a viagens ilimitadas, e em 45 minutos você chegará à estação Washington, que está a três quadras do Millennium Park, a área verde mais bacana da cidade. Lá, procure pela Cloud Gate, escultura gigantesca de metal em formato de feijão do artista Anish Kapoor. Conheça também a fonte The Crown e o Jay Pritzker Pavilion, onde rolam shows. Ainda dentro do Millennium Park está o Art Institute of Chicago (artic.edu), que possui importante coleção do fim do século 19, como o maior quadro do francês Georges Seurat, expoente do pontilhismo. Caminhe para o sul pela Columbus Drive até a Buckingham Fountain, uma fonte de onde se tem um panorama bonito do Lago Michigan. Fique ligada no relógio e reserve umas duas horas para subir até o John Hancock Observatory (jhochicago.com), que está a dez minutos de táxi do Millenium Park. No 94º andar, a vista é matadora, e de quebra há um café para curtir mais o lugar.”

O skyline de Chicago visto do John Hancock Observatory O skyline de Chicago visto do John Hancock Observatory

O skyline de Chicago visto do John Hancock Observatory (/)

O skyline de Chicago visto do John Hancock Observatory – Foto: Yannick Tylle/Corbis

Quais são as opções de escolas de inglês na Inglaterra para adultos na faixa dos 50 anos? Pretendo ir com minha esposa.

— Denis Araújo, Jaraguá do Sul, SC

A escola St. Giles Central, em Londres, tem cursos para adultos acima de 30 anos que são vendidos pela CI (ci.com.br). Quatro semanas custam desde £ 3 342 por pessoa e incluem acomodação em quarto duplo e café da manhã. A STB (stb.com.br) tem curso em Oxford, na EC English, também para pessoas acima de 30 anos, que custa desde £ 900 por quatro semanas. O site oxfordrooms.co.uk tem boa oferta de acomodações para casais.

→ Para participar, envie sua dúvida para [email protected] As perguntas selecionadas serão respondidas apenas nesta seção

Leia mais:

Check-in ##– Veja outras reportagens da edição de MAIO de 2013 da VT

Mais VT Responde ##– Tire suas dúvidas sobre Canadá, Paris e bicicleta no avião

Reino da impermanência ##– Cingapura desafia o turista com ruas em eterna mutação e atrações que se multiplicam em cascata

Ilhas da simpatia ##– Todos são só sorrisos em Fiji, e a natureza tem tudo a ver com isso

Fonte: Viagem e Turismo

Comentários Facebook