New kids on the block

Os edifícios incríveis – e novinhos em folha – que viraram landmarks de cinco cidades do planeta

Por Paulo Vieira (edição)

access_time 16 dez 2016, 09h07 – Publicado em 17 set 2011, 20h54

MARINA BAY SANDS (Cingapura)

Criador

O israelense Moshe Safdie, do aeroporto de Tel Aviv

Estreou

Em 2010

Quanto

US$ 5,7 bilhões

Por que é incrível

Por fora, três torres são unidas pelo topo, a 200 metros do nível do mar, por uma estrutura que parece um trem, onde está a piscina externa mais alta do mundo, com 151 metros de comprimento e borda infinita. Defronte, um museu em forma de flor a desabrochar.

Como Curtir

Complexo de luxo com shopping, cassino, restaurantes e centro de convenções, tem no hotel Marina Bay Sands (diárias desde US$ 320) sua grande estrela. No topo, no Sky Park, funciona o lounge Ku Dé Ta (12h/15 e 18h/2h), o mais badalado da Ásia, importado de Bali. A lista de chefs celebridades que assinam restaurantes no complexo é longa: o francês Daniel Boulud, o italiano Mario Batali e o japonês Tetsuya Wakuda. À beira da marina está a o ArtsScience Museum (10h/22h; US$ 25), o museu da flor

Skyline de Dubai, dominado pelo Burj Khalifa Skyline de Dubai, dominado pelo Burj Khalifa

Skyline de Dubai, dominado pelo Burj Khalifa (/)

Foto: Thinkstock

BURJ KHALIFA (Dubai)

Criador

O escritório americano Skidmore, Owings & Merrill, de Chicago (o mesmo que projetou o edifício onde está a Editora Abril, em São Paulo)

Estreou

Em 2010

Quanto

US$ 1,5 bilhão

Por que é incrível

É o edifício mais alto do mundo, com 827 metros de altura e 160 andares. Lá de cima, em dias claros, a vista pode alcançar mais de 90 quilômetros. Tornou-se o primeiro do mundo ao desbancar, em muito, o prédio Taipei 101, de Taiwan, de 509 metros

Como Curtir

Tem o mirante mais alto do mundo – no 124º andar, a 452 metros de altura (10h/0h; US$ 28), primeiro Armani Hotel (diárias desde US$ 490; A, D, M, V) do mundo e o gigantesco shopping Dubai Mall (1 Emaar Boulevard, 971-4/888-8888)

Arenas de Barcelona Arenas de Barcelona

Arenas de Barcelona (/)

Foto: Adriana Setti

ARENAS DE BARCELONA

Criador

O britânico Richard Rogers, prêmio Pritzker de 2007, com o escritório catalão Alonso Balaguer

Estreou

Em Abril

Quanto

US$ 290 milhões

Por que é incrível

O centro comercial ocupa o edifício onde funcionou a primeira plaza de toros de Barcelona. Toda a fachada original, de 1900, foi elevada do chão em um bloco único. O colosso hoje “flutua”

Como Curtir

Tem 115 lojas, 12 cinemas, um museu do rock e restaurantes. www.arenasdebarcelona.com; 10h/22h

Wyly Theatre, em Dallas, Estados Unidos Wyly Theatre, em Dallas, Estados Unidos

Wyly Theatre, em Dallas, Estados Unidos (/)

Foto: Business Wire/Getty Images

WYLY THEATRE (Dallas)

Criadores

Joshua Prince-Ramus, do escritório REX, de Nova York, e o prêmio Prizker de 2000, o holandês Rem Koolhaas

Estreou

Em 2009

Quanto

US$ 354 milhões

Por que é incrivel

É uma espécie de lego high-tech multitarefa. A fachada transparente permite que tudo seja visível de fora

Como Curtir

Em junho, faz carreira em Dallas o musical Billy Elliot, vencedor de dez prêmios Tony. 1/214-880-0202, www.attpac.org

Opera House, Guangzhou, na China Opera House, Guangzhou, na China

Opera House, Guangzhou, na China (/)

Foto: Nan ShaGZ/AFP

OPERA HOUSE (Guangzhou)

Criador

A iraquiana Zaha Hadid, prêmio Pritzker de 2004

Estreou

Em fevereiro

Quanto

US$ 200 milhões

Por que é incrivel

Leveza, transparência, curvas improváveis e um auditório assimétrico de acústica perfeita (improvável para o formato) fazem desta Opera House da terceira maior cidade chinesa, única do mundo

Como Curtir

O Balé de Shangai se apresenta lá no dia 18

HISTÓRIA

Osama, Che e o Alemão

Os esconderijos e bunkers que viraram points turísticos

Abbottabad era desconhecida até 1º de maio, quando a cidade no noroeste do Paquistão ganhou as manchetes por ter sido o local em que Osama Bin Laden foi capturado e morto. Desde então, a casa de três andares se tornou atração turística. Esconderijos aguçam a curiosidade e às vezes os baixos instintos, tanto que muitos são destruídos. O bunker onde Hitler, seu estado maior e suas famílias viviam em Berlim após a ocupação aliada não tem qualquer identificação, por exemplo. Já a escola em La Higuera, na Bolívia, onde o revolucionário argentino Ernesto Che Guevara foi executado, é até hoje ponto de peregrinação, mesmo 40 anos após sua morte, em 1967. O Brasil pode entrar na rota de bunkers devassados com o Complexo do Alemão, ocupado em novembro e hoje com visitas organizadas pela comunidade.

Leia mais:

Sumário de junho de 2011 – Edição 188

Prédios que se movem

8 pontos altos da culinária mundial

Torres e edifícios mais altos do mundo

Glamour carioca

Fonte: Viagem e Turismo

Comentários Facebook