Voos de deportação rápida de famílias de imigrantes é retomada pela segurança interna americana

O Departamento de Segurança Interna (DHS) anunciou a retomada imediata dos voos para deportar rapidamente famílias de imigrantes que chegam à fronteira e que “não buscam” ou “não se qualificam” para asilo.

“O asilo e outras vias de migração legal devem estar prontamente disponíveis para os necessitados, e este governo está empenhado em considerar os pedidos de asilo de forma justa e eficiente. Aqueles que não buscam proteção ou não se qualificam serão imediatamente devolvidos ao seu país de origem, foi informado em um comunicado à imprensa.

“Seguindo essa abordagem, o Departamento de Segurança Interna retomou os voos acelerados de remoção para certas famílias que chegaram recentemente à fronteira sul, não podem ser removidas sob o Título 42 e não têm base legal para permanecer aqui. As famílias detidas pelo Escritório de Alfândega e Proteção de Fronteiras foram transferidas por meio das operações aéreas do Serviço de Controle de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos para seus países de origem, Guatemala, El Salvador e Honduras”, acrescentou.

“O processo de remoção acelerada é um meio legal de gerenciar com segurança nossa fronteira e é um passo em direção ao nosso objetivo mais amplo de alcançar um processamento de imigração seguro e ordeiro. Colocando famílias que não podem ser removidas sob o Título 42, estamos deixando claro que aqueles que não se qualificarem para permanecer nos Estados Unidos serão deportados imediatamente”, continua o comunicado.

“A administração Biden-Harris está trabalhando para gerenciar uma migração segura, ordenada e humana na América do Norte e Central, inclusive expandindo as vias legais para os Estados Unidos. O DHS recentemente expandiu o programa juvenil da América Central e disponibilizou aos centro-americanos 6.000 vistos H-2B”, foi relatado.

“A migração irregular para os Estados Unidos é perigosa e pode ter consequências de imigração de longo prazo. A viagem é especialmente perigosa para famílias e crianças, incluindo adolescentes”, conclui o comunicado.

Fonte: Brazilian Press

Comentários Facebook