Universitários portugueses sugerem jogar pedras em alunos brasileiros

Foto5 Pedras em Lisboa Universitários portugueses sugerem jogar pedras em alunos brasileiros
Numa caixa de madeira cheia de pedras, foi pregado um cartaz com a mensagem: “Grátis se for para atirar a um zuca que passou à frente no mestrado”
Foto5 Comunicado da FDUL Universitários portugueses sugerem jogar pedras em alunos brasileiros
Através de uma nota, a FDUL afirmou “ter orgulho de ser um espaço de liberdade de opinião” (detalhe)

A mensagem foi fixada numa caixa de madeira com várias pedras no interior, na Faculdade de Direito de Lisboa (FDUL)

A Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDUL), em Portugal, está em época de eleições estudantis. Várias chapas disputam o comando da associação de estudantes, como são conhecidos os diretórios acadêmicos no país. A campanha de uma delas, não muito amistosa com os estudantes brasileiros, chamou atenção na segunda-feira (29). Numa caixa de madeira cheia de pedras, foi pregado um cartaz num pedaço de papelão com a mensagem:

“Grátis se for para atirar a um zuca que passou à frente no mestrado”. As informações são do website Veja São Paulo.

O termo “zuca” é um diminutivo de “brazuca” (gíria que indica imigrantes brasileiros), e “passou à frente no mestrado” sugere que os sul-americanos “roubaram” as vagas dos lusos na instituição de ensino.

“Ano passado a seleção para o mestrado abriu antes da licenciatura (graduação daqui) terminar e isso fez com que alguns portugueses só se inscrevessem na segunda oportunidade e, por consequência, muitos brasileiros entraram na primeira fase, que tinha mais vagas”, explicou Eduarda Calado, de 24 anos, natural de Recife (PE) e mestranda na faculdade.

Profundamente incomodados com a provocação, “os brasileiros foram perguntar o que era; argumentando xenofobia. Os portugueses disseram que era brincadeira, humor”, acrescentou Eduarda.

Através de uma nota, a FDUL afirmou “ter orgulho de ser um espaço de liberdade de opinião” e que estes valores “devem coadunar-se com o respeito por todos os alunos”.

Fonte: Brazilian Voice

Comentários Facebook