A rede social apoiada pelo ex-Presidente dos EUA, Donald Trump, foi lançada no início da semana na loja virtual da Apple e contou com diversos erros e listas de espera para os interessados que esperavam juntar-se à plataforma.

Porém, não só os problemas técnicos da Truth Social que estão  sendo motivo de críticas. Aparentemente, vários utilizadores estão vendo os seus nomes censurados. Como conta o Mashable, um utilizador viu-se impedido de usar um nome que faz parodia com o nome do CEO da Truth Social, Devin Nunes.

Não é incomum que as redes sociais tenham políticas que visem moderar os nome de utilizadores e os conteúdos que podem ser partilhados. Todavia, vários utilizadores estão  apontando que a Truth Social foi criada para ter menos censura e uma moderação mais leve do que plataformas como o Facebook, o Twitter e o YouTube.

No caso da Truth Social, são vários os utilizadores comentando que a política de moderação pode ser mais rígida do que se encontra em outras redes sociais, com os moderadores a terem poder de remover conteúdo “difamatório, calunioso e questionável”.