Restaurantes aumentam os esforços no combate contra a hepatite A

  • Flórida confirma quase 1.900 casos da doença, três vezes mais que no ano passado.

hepatite ANo Max’s Grille, em Boca Raton, e seus três restaurantes irmãos no condado de Palm Beach, mais de 60 trabalhadores receberam vacina contra hepatite A na semana passada. Esse é um esforço preventivo para deter a propagação da doença hepática contagiosa, que atingiu níveis recordes na Flórida .

Com quase 1.900 casos confirmados de hepatite A na Flórida este ano, mais de três vezes mais do que no ano passado, restaurantes em todo o estado estão aumentando o foco na limpeza e na vacinação dos trabalhadores de alimentos. A Flórida registrou um aumento alarmante em 2019, já que a hepatite A atingiu todos os condados do estado e infectou mais de uma dezena de funcionários de restaurantes.

O Rapoport’s Restaurant Group, que opera o Deck 84, Burt & Max’s, Max’s Grille e Prezzo no condado de Palm Beach, passou os últimos meses em uma campanha de lavagem das mãos, limpeza regular de cardápios, maçanetas e todos os objetos portáteis. À medida que as notícias de trabalhadores de serviços de alimentos infectados nos condados da Flórida apareciam, o diretor de Recursos Humanos da Rapoport, Adam Rosenberg, providenciou a vacinação de funcionários no local de trabalho. O custo é coberto pelo seguro ou pelo departamento de saúde.

Apenas nos últimos meses na Flórida, todos os tipos de estabelecimentos alimentícios tiveram funcionários testando positivo para hepatite A – restaurantes de luxo como Cooper Hawk Winery em Palm Beach, locais de fast-food como um Arby’s em Clearwater, mercado especializado Piccolo Italian Market & Deli em Sarasota e até no Cafe Gala dentro do Museu Dali em Saint Petersburg.
Autoridades oferecem vacinação gratuita para sem-teto e os usuários de drogas, a população mais em risco de contrair a doença.
Como esses grupos têm pessoas que gravitam em torno de empregos com salários mínimos, eles geralmente são contratados para cargos de baixa qualificação na indústria de restaurantes – especialmente fast food, disse William D. Marler, advogado de segurança alimentar da Marler Clark em Seattle.

O Departamento de Saúde da Flórida disse que menos de 5% dos casos confirmados de hepatite A são funcionários de restaurantes. Neste momento, nenhum caso confirmado está ligado à transmissão de um funcionário do serviço de alimentação.
Marler disse que mesmo 5% podem ser substanciais quando se considera quantas pessoas poderiam entrar em contato com um manipulador de alimentos infectado.

Sintomas
Ao contrário de outras doenças, as pessoas que têm hepatite A não apresentam sintomas até terem o vírus durante algumas semanas. Eles poderiam estar manipulando alimentos durante esse período sem perceber que têm a doença. Os sintomas incluem fadiga, dor abdominal, perda de apetite, urina escura e perda de peso.

A melhor maneira de evitar ou espalhar a doença do fígado que geralmente não é fatal, é a vacinação e a boa lavagem das mãos, especialmente após o uso do banheiro. A vacinação consiste em duas doses, uma imediatamente e outra em seis meses. Se a vacina for administrada dentro de duas semanas após a exposição à hepatite A, ela pode fornecer proteção contra a doença, de acordo com o departamento de saúde. Com informações do Sun Sentinel.

O post Restaurantes aumentam os esforços no combate contra a hepatite A apareceu primeiro em .

Fonte: Gazeta News

Comentários Facebook