A polícia brasileira tentará cooperação com as autoridades dos EUA para investigar essa possibilidade, disseram as autoridades

O Youtuber e gamer Raulino de Oliveira Maciel, popularmente conhecido como “RaulZito”, foi indiciado judicialmente pelo estupro de duas crianças, pela Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), de acordo com o delegado Adriano França, titular da unidade. O inquérito foi enviado no dia 18 para o Ministério Público.

RaulZito está detido em decorrência de um mandado de prisão temporária expedido pela 4ª Vara Criminal de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro (RJ). “Ele está preso temporariamente e acreditamos que será denunciado pelo MP (Ministério Público), e a prisão será a partir de então preventiva”, detalhou França.

Após a prisão do internauta, os policiais localizaram, além das vítimas no Rio de Janeiro, outras três na Paraíba, onde há investigações em andamento, três em São Paulo e uma em Santa Catarina. Existe a possibilidade de casos também nos Estados Unidos, onde RaulZito já morou. A polícia brasileira tentará a cooperação com as autoridades norte-americanas para investigar essa possibilidade.

De acordo com os investigadores, é destaque a semelhança física entre as vítimas, com idades entre 10 e 12 anos.

Através de um comunicado divulgado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, responsável pelas investigações, foi informado que RaulZito estava em Florianópolis (SC) e não reagiu à prisão. A mãe de uma das vítimas denunciou à polícia que o filho, menor de 12 anos, relatou ter sofrido abusos entre fevereiro e maio deste ano. As ações teriam ocorrido em Niterói (RJ) e em São Caetano do Sul (SP).

Outra mãe fez alegações do mesmo tipo. De acordo com a polícia civil, as acusações são de atores mirins de teatro, cinema e TV, com trabalhos artísticos em andamento: “Elas têm como características, além do trabalho artístico, idades próximas entre 10 anos a 14 anos, caucasianas, cabelos lisos e longos”.

O contato do produtor de conteúdo costumava ser feito através do perfil no Instagram. Ele teria se aproximado com promessas de acessos a trabalhos na área de atuação artística.

A investigação comprovou, conforme a polícia, que o gamer fazia contato com os pais das vítimas através das redes sociais e, após conquistar a confiança dos adultos, cometia abusos no seu estúdio, localizado em sua residência, em São Paulo. Os crimes aconteciam também nas casas das vítimas: Raulzito se hospedava nos locais com a permissão dos pais, a quem prometia, ainda, que “os filhos deles entrariam para o mundo artístico e dos gamers”.
Algumas pessoas procuradas pela polícia não retornaram o contato. Investigadores especulam que tal comportamento possa ser motivado por sentimento de culpa, medo do poder econômico do gamer ou vergonha.

A Dcav acredita que Raulzito já agia dessa maneira havia bastante tempo. O gamer se aproveitava do silêncio das vítimas, de acordo com as investigações. A constatação foi feita com base em análises dos perfis das crianças abusadas.

RaulZito mantinha dois canais de games no YouTube, nos quais jogava com “talentos mirins”. Num deles, acumulava mais de 140 mil inscritos e chegou à marca de 1,8 milhão de visualizações. Já na Twich, a maior plataforma de transmissão de games, eram quase 120 mil inscritos. Através da experiência adquirida nessas plataformas, ele começou uma assessoria voltada ao público jovem.

Apoiem os Pequenos negócios. Mantenha a economia girando!

ADVOGADA MICHELLE DA SILVA- Conhecimento, experiência e resultado. Imigração, divórcio, casos criminais.  Estamos localizados  em Boston (MA). Ligue: (781) 223-6100.

WRA REALTY- Flórida- As melhores oportunidades da Flórida. Deixe nossos especialistas encontrarem a oportunidade certa para você! Encontramos a melhor opção para você investir o seu dinheiro na Flórida e aumentar o seu rendimento. Invista em PROPRIEDADE! Fale com a corretora brasileira Fernanda Pizzamiglio. Tel: (508) 364-4606. Endereço: 7065 Westpoint Blvd. Suite 102- Orlando, FL 32835. Email: [email protected] Site: www.wra-usa.com

Legenda:

Foto: 

Fonte: Brazilian Times