Organização denuncia violência de polícia espanhola contra catalães

12/10/201707h05A organização Human Rights Watch acusou o governo espanhol na quinta-feira (12) de separatista catalão de 1º de outubro. Quase 900 ficaram feridos, segundo Barcelona.
A investigação do grupo humanitário incluiu entrevistas com testemunhas e análise de evidências em vídeos, fotografias e prontuários médicos em três cidades catalãs: Girona, Aiguaviva e Fonollosa.
A acusação é direcionada a duas forças policiais espanholas, a Polícia Nacional e a Guarda Civil. Não há menções à policia regional catalã, os.
A Polícia Nacional é a força espanhola que atua em todo o território. A Guarda Civil, por sua vez, está ligada ao Ministério da Defesa e tem atribuições militares.
“A polícia pode até ter tido a lei a seu lado, para cumprir ordens judiciais, mas isso não lhe dava o direito de usar a violência contra manifestantes pacíficos”, afirmou o investigador Kartik Raj, da Human Rights Watch.
O plebiscito de 1º de outubro foi considerado ilegal pelo Tribunal Constitucional. O governo espanhol tampouco reconhece o resultado, em que —apesar de só 43% do eleitorado ter participado dessa consulta.
FESTA NACIONAL
O relatório da Human Rights Watch coincidiu com o feriado de 12 de outubro, em que espanhóis celebram sua festa nacional.

Fonte: Folha de S.Paulo