Na contramão de tendência mundial, Brasil reduz gastos militares em 2016

Direito de imagemExército/Divulgação.

Soldado em patrulhamento durante Olimpíadas do Rio; país caiu da 12ª para a 13ª posição em gastos militares no mundo O prolongamento da recessão fez com que os gastos militares brasileiros encolhessem no ano passado, na contramão do resto do mundo.

De acordo com o relatório “Tendências dos gastos militares no mundo”, divulgado pelo Instituto de Pesquisa pela Paz Internacional de Estocolmo, o Brasil caiu da 12ª para a 13ª posição no ranking que avalia 172 países.
Em 2016, os gastos militares brasileiros foram de US$ 23,7 bilhões ou 1,3% do PIB (Produto Interno Bruto, ou soma de todas as riquezas produzidas pelo país), queda de 7,2% na comparação com o ano anterior.

Já os gastos globais subiram 0,4% no mesmo período, para US$ 1,686 trilhão, ou 2,2% do PIB mundial.
A alta foi puxada pelo crescimento desse tipo de despesa nos Estados Unidos, China e Rússia.
Segundo o relatório, os gastos continuaram a crescer na Ásia e Oceania, na Europa Central e do leste e no norte da África. Por outro lado, caíram na América Central e Caribe, no Oriente Médio, na América do Sul e na África subsaariana.

Fonte: BBC