É hora de restringir os poderes nucleares do presidente dos EUA

14/09/201702h00Pela primeira vez nesta geração há ansiedade generalizada sobre a possibilidade de uma , estimulada pelas tensões extremas entre Coreia do Norte e EUA.
O secretário de Estado Rex Tillerson tranquilizou os norte-americanos dizendo que poderiam dormir sossegados, um tipo de garantia que a maioria provavelmente nem gostaria de precisar ouvir.
Tillerson ofereceu o conselho para tentar diminuir o furor da imprensa em relação às ameaças trocadas entre Pyongyang e Washington. Suas palavras também refletem o profundo desconforto com o temperamento e (falta de) juízo dos dois líderes que podem começar uma guerra, e .
Tanto um como outro dão impressão de achar que podem se impor e intimidar com gravíssimas. O problema é que as palavras têm consequências que nenhum dos dois parece perceber.
Será que devemos viver em um mundo em que dois líderes se veem às voltas com o holocausto nuclear?Andrew Harrer/Zuma Press/XinhuaDonald Trump, presidente dos EUA, discursa em cerimônia do 11 de setembroO empenho dos norte-coreanos para a obtenção de armas nucleares obviamente exige uma política de contenção e dissuasão muito mais explícita por parte dos EUA e de seus aliados, de modo a impedir que Kim assuma opções ainda mais arriscadas.

Fonte: Folha de S.Paulo