Covid-19: agência dos EUA aprova segunda vacina para uso na população

Mulher de jaleco olha para amostras de vacina em ambiente de laboratório

Legenda da foto,

Cientista trabalha com vacina da Moderna em laboratório

A agência sanitária dos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou nesta sexta-feira (18/11) uma segunda vacina contra a covid-19 para aplicação no país, desta vez produzida pela empresa Moderna.

Há uma semana, a agência aprovou a vacina da Pfizer-BioNTech, que já está sendo aplicada na população — em uma primeira etapa, em profissionais de saúde e idosos vivendo em casas de repouso.

Um acordo entre o governo americano e a FDA prevê a compra de 200 milhões de doses, das quais 6 milhões podem ser entregues logo.

Antes da decisão da agência, um painel de consultores do FDA votou na quinta-feira (17/11), por 20 votos a 0 e uma abstenção, pela aprovação desta segunda vacina em território americano, avaliando que os benefícios da vacina superam os riscos

No início da semana, o FDA divulgou que a vacina da Moderna tem eficácia de 94%.

Os EUA têm o maior número de mortes e casos de covid-19 no mundo: segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins, o país registra pelo menos 311.529 mortes e 17.269.542 infecções.

Diferenças e semelhanças entre as vacinas

A vacina Moderna precisa ser transportada a cerca de -20 °C — temperatura semelhante a um freezer normal.

Já a da Pfizer requer temperaturas próximas a -75 °C, tornando a logística de transporte muito mais difícil.

Como a vacina Pfizer, a da Moderna também requer uma segunda injeção de reforço — no caso desta, 28 dias após a primeira aplicação.

A Moderna, que tem sede em Massachusetts, planeja fabricar a maior parte das doses ali mesmo, no nordeste dos EUA.

Já a vacina da Pfizer está sendo produzida em vários países, incluindo Alemanha e Bélgica.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte: BBC

Comentários Facebook