Coronavirus visto pelo microscópioDireito de imagem BSIP

A pandemia do novo coronavírus tem sido marcada por diversas características, como a transmissão do vírus por pessoas sem sintomas, o gigantesco impacto econômico, as quarentenas de milhões de pessoas e o acompanhamento em tempo real do avanço da doença pelo mundo.

Para tornar o volume extraordinário de dados em informações compreensíveis para a população, especialistas, veículos jornalíticos e autoridades de saúde criaram sites interativos nos quais é possível acompanhar quase em tempo real a evolução do número de infectados e mortos por dia e localidade, entre outros dados.

A exemplo do mapa abaixo, produzido e atualizado pela BBC.

A apresentação usa dados periódicos da Universidade John Hopkins e pode não refletir as informações mais atualizadas de cada país.

284.809 11.871
Casos Mortes
China 81.457 3.261
Itália 47.021 4.032
Espanha 25.374 1.375
Alemanha 20.705 72
Irã 20.610 1.556
Estados Unidos 19.593 260
França 12.461 450
Coreia do Sul 8.799 102
Suíça 6.113 58
Reino Unido 3.983 177
Holanda 2.995 106
Bélgica 2.815 67
Áustria 2.664 7
Noruega 1.994 7
Suécia 1.657 16
Dinamarca 1.326 13
Portugal 1.280 12
Malásia 1.183 4
Canadá 1.085 12
Austrália 1.071 7
Japão 1.045 36
Brasil 977 11
República Tcheca 925
Israel 883 1
Cruzeiro Diamond Princess 712 8
Irlanda 683 3
Luxemburgo 670 8
Turquia 670 9
Paquistão 534 3
Finlândia 503
Grécia 495 10
Islândia 473
Catar 470
Indonésia 450 38
Polônia 439 5
Chile 434
Cingapura 432 2
Equador 426 7
Tailândia 411 1
Romênia 367
Arábia Saudita 344
Eslovênia 341 1
Filipinas 307 19
Estônia 306
Bahrein 298 1
Índia 294 4
Egito 285 8
Peru 263 4
Rússia 253 1
África do Sul 240
Iraque 208 17
México 203 2
Panamá 200 1
Líbano 187 4
Kuwait 176
Croácia 168 1
Armênia 160
Argentina 158 3
Colômbia 158
Taiwan 153 2
Sérvia 149 1
San Marino 144 14
Bulgária 142 3
Emirados Árabes Unidos 140 2
Eslováquia 137 1
Letônia 124
Costa Rica 113 2
Uruguai 110
Hungria 103 4
Argélia 94 11
Ilhas Faroe 92
Vietnã 92
Bósnia-Herzegóvina 91
Marrocos 86 3
Jordânia 85
Brunei 83
Macedônia do Norte 76
Albânia 76 2
Chipre 75
Andorra 75
Sri Lanka 73
República Dominicana 72 2
Lituânia 69
Belarus 69
Moldávia 66 1
Venezuela 65
Burkina Fasso 64 2
Malta 64
Tunísia 54 1
Cazaquistão 53
Guadalupe 53
Omã 52
Cisjordânia 52
Nova Zelândia 52
Camboja 51
Geórgia 48
Senegal 47
Ilha Reunião 45
Azerbaijão 44 1
Ucrânia 41 3
Uzbequistão 37
Liechtenstein 37
Martinica 32 1
Camarões 27
Bangladesh 25 2
Afeganistão 24
Honduras 24
República Democrática do Congo 23 1
Cuba 21 1
Gana 19
Bolívia 19
Paraguai 18 1
Ruanda 17
Jamaica 16 1
Polinésia Francesa 15
Guiana Francesa 15
Costa do Marfim 14
Porto Rico 14
Guam 14
Montenegro 14
Maurício 14 1
Maldivas 13
Guatemala 12 1
Jersey 12
Nigéria 12
Quirguistão 12
Mônaco 11
Mongólia 10
Gibraltar 10
Togo 9
Trinidad e Tobago 9
Etiópia 9
Seicheles 7
Mayotte 7
Guiana 7 1
Quênia 7
Guiné Equatorial 6
Tanzânia 6
Barbados 6
Aruba 5
Suriname 4
Ilha de São Martinho (parte francesa) 4
Bahamas 4
Gabão 4 1
Libéria 3
El Salvador 3
Ilhas Virgens Americanas 3
Namíbia 3
Madagascar 3
São Bartolomeu 3
Zimbábue 3
República Centro-Africana 3
Congo 3
Ilhas Cayman 3 1
Antilhas Holandesas 3 1
Angola 2
Haiti 2
Mauritânia 2
Groenlândia 2
Nicarágua 2
Guiné 2
Zâmbia 2
Bermuda 2
Butão 2
Sudão 2 1
Santa Lúcia 2
Guernsey 2
Kosovo 2
Benin 2
São Vicente e Granadinas 1
Cabo Verde 1
Fiji 1
Chade 1
Nepal 1
Eswatini 1
Vaticano 1
Djibuti 1
Gâmbia 1
Somália 1
Ilha de Man 1
Antigua e Barbuda 1
Montserrat 1
Níger 1
Papua Nova Guiné 1


Fonte: Universidade John Hopkins (Baltimore, EUA), autoridades locais

Mas há algumas limitações em todos esses sites, que podem ser até complementares.

Vale lembrar que não se recomenda usá-los para comparar o avanço da doença entre países, já que alguns adotam a política de testes em massa da população e outros afirmam que o importante é se concentrar em tratar quem apresenta sintomas graves (e não identificar todo mundo que está infectado).

Por outro lado, os números de mortos apresentados nesses sites têm uma subnotificação menor que o de infectados, dada a quantidade de pessoas que não apresentam sintomas da doença ou não chegam a recorrer a unidades de saúde.

De todo modo, eles oferecerem um panorama da situação da doença no mundo.

Conheça abaixo cinco desses sites, todos em inglês.

Universidade Johns Hopkins

O painel online da prestigiada instituição americana de ensino se tornou uma referência durante a pandemia, principalmente pela agilidade da atualização dos dados.

A ferramenta, que pode ser acessada neste link, apresenta mapa com os casos registrados e listas com os números de infectados, mortos e curados, separados por país ou região.

Há também infográficos com a evolução diária dos casos, mas não há separação geográfica desses dados especificamente.

Organização Mundial da Saúde (OMS)

Braço para a saúde da Organização das Nações Unidas (ONU), o órgão centraliza informações e recomendações em torno da crise.

Direito de imagem Empics

O site da OMS pode ser acessado neste link e é bastante parecido com o da Universidade Johns Hopkins, já que ambos foram desenvolvidos com a mesma ferramenta ArcGIS.

Universidade de Washington

Um dos diferenciais do site criado por essa instituição de ensino americana é a possibilidade de explorar separadamente as curvas de contágio, ou seja, o avanço do número de infectados e de mortos por dia e por país.

O site, atualizado com menos frequência que o da Johns Hopkins, pode ser acessado neste link.

Segundo especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, a velocidade de propagação do novo coronavírus no Brasil tem repetido o padrão dos países que mais sofrem com o avanço da covid-19, como Alemanha, França e Reino Unido.

Worldometer

O site especial sobre coronavírus do Worldometer — plataforma internacional colaborativa alimentada por programadores, pesquisadores e voluntários — tem a maior quantidade de informações sobre as pessoas atingidas pela pandemia.

A ferramenta, que pode ser acessada neste link, se baseia em dados da Organização Mundial da Saúde e de governos, além de artigos científicos e textos jornalísticos publicados sobre o tema.

No Worldometer, é possível encontrar uma espécie de Wikipedia estatístico, com dados como o perfil dos mortos, testes realizados, o número de casos por 1 milhão de habitantes, as curvas de contágio em cada país e uma tabela que separa o número de pacientes em estado mais grave de saúde.

Nextstrain

Plataforma científica colaborativa apresenta o mapeamento genético do vírus a partir da análise de casos ao redor do mundo. Isso permite, por exemplo, identificar padrões de disseminação da doença.

O site, que pode ser acessado neste link, traz uma animação para acompanhar as cadeias de transmissão de um país para outro a partir dessas variações do vírus encontradas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte: BBC