As diferenças históricas que culminaram no anúncio da saída de EUA e Israel da Unesco

Direito de imagemAFP.

Estados Unidos deixarão de ser membros da Unesco a partir de 31 de dezembro Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira sua saída da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que se torna efetiva a partir de 31 de dezembro.

Em comunicado sobre a decisão, o Departamento de Estado americano ressaltou a necessidade de uma reforma “fundamental” na entidade e criticou seu suposto “viés anti-Israel”. Horas depois, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, informou que acompanharia a medida e que já havia dado instruções a seu ministro de Relações Exteriores para iniciar os preparativos para a retirada.
A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, lamentou “profundamente” a decisão de Washington, a qual qualificou como uma “perda para o multilateralismo” e para a família das Nações Unidas.

10 perguntas sobre Nossa Senhora Aparecida que, 300 anos depois, continuam sem respostas definitivas’Ainda sou xingada na rua. Só perdoam quem se arrepende no culto’, diz Bibi Perigosa da vida realEsta não é, entretanto, a primeira vez que os americanos se retiram da organização.

Fonte: BBC