8 perguntas para entender a crise na Venezuela e a convocação da Assembleia Constituinte

Direito de imagemGetty ImagesImage caption Protestos, muitos deles com enfrentamentos violentos, se transformaram em rotina na Venezuela A crise na Venezuela ganhou um novo capítulo após o presidente Nicolás Maduro assinar, na noite de segunda-feira, um decreto convocando uma Assembleia Constituinte, para “reformar o Estado e redigir uma nova Constituição”.

A convocação vem no momento de intensificação de uma nova onda de protestos contra o governo e poucos dias depois de o país anunciar sua saída da Organização dos Estados Americanos (OEA).
A Assembleia Constituinte terá 500 membros, metade formada por representantes eleitos, segundo Maduro, “pela base da classe operária, comunas, missões e movimentos sociais”, e a outra, por representantes eleitos por “municípios e territórios”.

O presidente não detalhou como seria o processo de escolha. A oposição descreveu a medida como “consumação do golpe de Estado contínuo de Maduro contra a Constituição” que deve intensificar a crise política no país.
As medidas ocorrem em um cenário de mais protestos, com enfrentamentos entre forças de segurança, opositores e simpatizantes do governo, e que já levaram à morte de 20 pessoas.

Fonte: BBC

Comentários Facebook

FN

Deixe uma Opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *