O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky se reuniu com senadores dos Estados Unidos, neste sábado (14), e pediu que a Rússia seja oficialmente reconhecida como um “estado terrorista”.

“Mantive conversas hoje com uma delegação de senadores dos EUA liderada pelo líder da minoria republicana no Senado, Mitchell McConnell, em Kiev”, declarou Zelensky.

“Acredito que esta visita mais uma vez demonstra a força do apoio bipartidário ao nosso estado, a força dos laços entre as nações ucranianas e americanas”, continuou.

Discussões sobre o apoio dos EUA à Ucrânia e o endurecimento das sanções à Rússia também ocorreram durante a reunião, segundo Zelensky.

“Eu expressei gratidão pela decisão histórica de renovar o programa Lend Lease. Eu pedi o reconhecimento oficial da Rússia como um estado terrorista”, disse Zelensky.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sancionou a Lei de Empréstimo-Arrendamento de Defesa da Democracia da Ucrânia de 2022 em 9 de maio.

A nova lei, que facilita alguns requisitos para que os EUA emprestem ou aluguem equipamentos militares à Ucrânia, foi aprovada com maioria bipartidária na Câmara e no Senado dos EUA.

Seus patrocinadores disseram que a legislação dá a Biden autoridade muito mais ampla para ajudar a Ucrânia a se defender contra a Rússia e aborda como os EUA podem levar armas para a Ucrânia mais rapidamente.

O presidente ucraniano também destacou em seu discurso noturno a segurança alimentar, uma questão com a qual ele disse lidar “diariamente”.

“Cada vez mais países ao redor do mundo estão percebendo que a Rússia, ao bloquear o Mar Negro para nós e continuar esta guerra, coloca dezenas de outros países em risco de uma crise de preços no mercado de alimentos e até fome”, disse Zelensky. “Este é outro incentivo para que nossa coalizão antiguerra aja de forma mais decisiva em conjunto”, finalizou Zelensky.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Fonte: CNN Brasil