Ruínas de cidade que abrigou 200 mil pessoas são mistério em Agrigento

O Vale dos Templos fazia parte da antiga Agrigento. Seiscentas mil pessoas visitam por ano o sítio arqueológico. São as ruínas mais importantes da Sicília e as mais bem preservadas fora da Grécia. Entre todos os templos, o da Concórdia foi o único que ficou em pé e resistiu aos terremotos da Idade Média que derrubaram os outros monumentos
Dez outros templos faziam parte do vale, num dos maiores parques arqueológicos do mundo. Essa foi uma das maiores cidades do Mediterrâneo, com 200 mil habitantes. Píndaro, poeta e historiador da antiguidade, escreveu que lá se fazia tanta festa e que as pessoas se divertiam de tal maneira que era como se não existisse o amanhã.
 
saiba maisSicília, famosa pela dieta mediterrânea, tem mercados de 1,2 mil anosEquipe do Globo Repórter testemunha explosão de vulcão na SicíliaAlcaparra, vinho dos vulcões, azeite de oliva: sabores da dieta mediterrâneaItalianos redescobrem antigo grão de trigo, que produz pão mais saudávelPasta de amêndoa: o segredo de um doce que enlouquece os italianos
“Eles comiam muito, como se fossem morrer no dia seguinte, e construíam como se não fossem morrer nunca. Através da arquitetura, queriam deixar a marca da sua passagem, e como se pode ver, conseguiram muito bem”, diz o diretor do Vale dos Templos, Giuseppe Parello.
Em escavações, descobriu-se que os gregos se alimentavam de vegetais, frutas e leguminosas. As oferendas de comida e animais às divindades aconteciam do lado de fora do grande templo.
Só as sacerdotisas e os sacerdotes da antiguidade entravam no local, para as cerimônias de adoração dos deuses pagãos.

Fonte: G1