O ciclone conservador no Brasil

Evandro Leal – 13.set.2017/Agência Freelancer/FolhapressOperários retiram material de divulgação da exposição Queermuseu no Santander Cultural, em Porto Alegre12/10/201708h00Enquanto furacões assolaram o Caribe e o Golfo do México, um ciclone de conservadorismo moral vem arrasando o já castigado Brasil.
Os últimos dias foram testemunhas de uma tormenta reacionária no campo do gênero e da sexualidade, que atingiu tanto o sistema de justiça como diversas instituições culturais, colocando em xeque a liberdade de expressão artística e o reconhecimento da diversidade.
No dia 10 de setembro, a mostra “Queermuseu: cartografias da diferença na arte brasileira”, que trazia uma leitura da história das artes plásticas brasileiras a partir de uma perspectiva LGBT, foi encerrada antecipadamente pelo Santander Cultural, na cidade de Porto Alegre.
Por trás do episódio, estavam a pressão nas redes sociais e até mesmo a violência física que membros do Movimento Brasil Livre (MBL) dirigiram contra a exposição, artistas, curador e espectadores.
O MBL alegou que havia apologia à pedofilia e à zoofilia. Não foi suficiente que o próprio Ministério Público desmentisse as acusações: o Santander Cultural, que usou incentivos fiscais, ou seja, verbas públicas, para patrocinar o evento, cancelou antecipadamente uma exposição que começou a ser pensada em 2010 e que contava com quase 270 trabalhos de 85 artistas consagrados dentro e fora do país.

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook

FN

Deixe uma resNotíciaa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *