Morador de Nova Iguaçu, Felipe Torres coleciona vitórias no pôquer nacional

Rei das cartas. Felipe quer ganhar bracelete de ouro em Las Vegas Foto: Guilherme Pinto / ExtraNo jogo de cartas mais famoso do mundo, um royal flush (sequência de ás, rei, dama, valete e dez do mesmo naipe) não pode ser batido. O iguaçuano Felipe Torres, de 30 anos, também não. Com apenas dois anos como jogador profissional de pôquer, ele vem colecionando importantes vitórias na carreira, conforme mostrou ontem a coluna “ExtraVip”. Neste período, foram ao menos sete troféus. Sem contar que, atualmente, Felipe está em 5º lugar no ranking Brasil da categoria.
O crescimento um tanto quanto precoce no ramo, segundo ele, é resultado de muitas horas de estudo e de uma boa técnica, que alia controle da emoção com habilidades matemáticas. E a sorte?
Felipe só começou a jogar pôquer há dois anos Foto: Guilherme Pinto / Extra
— Não é sorte. É habilidade! Eu estudo diversos programas que falam sobre variáveis matemáticas. É uma dedicação diária. Não adianta uma pessoa contratar um coach de duas ou três semanas, porque os jogos de pôquer estão sempre se atualizando — defende Felipe, cujo maior sonho é conquistar o bracelete de ouro, maior prêmio do pôquer disputado em Las Vegas (EUA).

Fonte: Extra Online

Comentários Facebook

FN

Deixe uma resNotíciaa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *