Os preços das verduras e legumes apresentaram queda nas Centrais de Abastecimento do país, segundo o boletim do mês de junho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o órgão, itens como alface, batata, cenoura e tomate apresentam queda no preço. Esses produtos foram os principais responsáveis pelo aumento do índice da inflação dos alimentos neste ano.

Segundo o documento, o motivo dos valores mais baixos foi o aumento da oferta dessas hortaliças-legumes e verduras estão dentro dessa categoria, segundo a Conab-, sobretudo da batata, que ampliou em torno de 13% o volume disponível e pela primeira vez no ano apresentou queda de preços.

Dentre as principais hortaliças pesquisadas pela Conab, o tomate e a cenoura apresentaram queda nos preços em todas as centrais.

As baixas mais acentuadas foram nos estados do Espírito Santo (-46,19%) no caso do tomate, e em Brasília (58,5%) em relação à cenoura.

A redução nos preços observadas nessas centrais já chega no bolso do consumidor. Dados da divulgação mais recente do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, mostram que no mês de maio, o tomate registrou queda de 23,72% no preço.

Já a cenoura, registrou um recuo de 24,07%. A alface e a batata apresentaram baixa de 4,10% e 3,94%, respectivamente.

A cebola continua em uma tendencia de alta, tanto na Conab, quanto nos dados do IPCA. O legume registrou um aumento de até 37,19% em Curitiba. Segundo o índice, no mês de maio a inflação da cebola foi de 21,36%.

Por conta do excesso de chuvas no início deste ano nas principais regiões produtoras desses alimentos, eles registraram um aumento significativo de preços. Para a Conab, a estabilização das temperaturas também tem favorecido as produções e as quedas no custo desses itens.

O levantamento dos dados da Conab deste mês foi realizado nas Centrais de Abastecimento localizadas em São Paulo/SP, Belo Horizonte/MG, Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Curitiba/PR, Goiânia/GO, Brasília/DF, Recife/PE, Fortaleza/CE e Rio Branco/AC que, em conjunto, comercializam a maior parte dos hortigranjeiros consumidos pela população brasileira.

Fonte: CNN Brasil