A violência protagonizada por um grupo de torcedores do Fluminense foi repudiada pelo Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Saferj). Em nota, a entidade prestou apoio incondicional  ao atleta Felipe Mello, ao treinador Abel Braga e ao presidente Mario Bittencourt, além de se solidarizar aos seguranças, que no cumprimento de suas obrigações foram “covardemente agredidos por um grupo de desequilibrados que se acham torcedores”.

O episódico ocorreu nesta quinta-feira (17), quando o Fluminense voltava do Paraguai, após ser eliminado pelo Olimpia (Paraguai) na cobrança dos pênaltis.

A diretoria do Fluminense também publicou comunicado, condenando as brigas e a confusão durante o desembarque do time no Aeroporto Internacional Tom Jobim.

 “Entende-se a tristeza e a irritação que tomam conta de toda a torcida por não termos conquistado a classificação. O que foge à compreensão são atos de violência de uma minoria mal-intencionada contra pessoas que estão no exercício de seu ofício – e, mais uma vez, para os quais a conquista da classificação e a disputa pela taça seriam motivo de orgulho e de crescimento profissional”, diz o comunicado

O Fluminense volta a campo na próxima segunda (21), às 20h (horário de Brasília), para enfrentar o Botafogo. O jogo será no Estádio Nilton Santos e será o primeiro confronto por uma vaga para a final do Campeonato Carioca.

Fonte: Agência Brasil