Equipe de Macron diz que vazamento tenta desestabilizar eleições na França

06/05/201717h32A equipe do centrista Emmanuel Macron criticou o do candidato à presidência da França, na véspera do segundo turno da eleição presidencial contra a líder da extrema direita, Marine Le Pen. Segundo os membros da campanha, “quem está fazendo isso circular agregou documentos autênticos a muitos outros que são falsos, para semear dúvidas e desinformação”.
Este mais recente acontecimento, ocorrido nas últimas horas da campanha oficial entre os dois turnos, foi considerado um ato de “desestabilização” pelo ex-ministro da Economia. Já o presidente francês em final de mandato, François Hollande, garantiu hoje que a ação de pirataria não ficará “sem resposta” e que “procedimentos serão postos em vigor”.
A autoridade eleitoral francesa alertou neste sábado (6) sobre a . “A difusão, ou redifusão, de tais dados, obtidos de forma fraudulenta, e por meio dos quais podemos, segundo toda probabilidade, ser levados a falsas informações, é suscetível de penalidade”, ressaltou em um comunicado.
Na manhã deste sábado, a Comissão Nacional francesa de controle da campanha presidencial recomendou os meios de comunicação a “ter responsabilidade e não transmitir o conteúdo vazado, a fim de não alterar a integridade da eleição”.

Fonte: Folha de S.Paulo