Chefe do tráfico morto em tiroteio no Juramento é filho de PM reformado

Barricada na entrada da comunidade Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

Pelo menos seis pessoas morreram no confronto entre traficantes pelo controle do Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, Zona Norte do Rio. Entre os mortos, está Bruno Alberto Botelho Jaccoud, de 30 anos, chefe do tráfico na comunidade. Conhecido como Palmito, ele foi morto na região conhecida como Igrejinha. O pai dele, um policial militar aposentado, levou o corpo do filho para uma praça na Rua Vaz Lobo, um dos acessos à comunidade.
O pai de Palmito, que não quis se identificar, disse que o filho foi traído pelos próprios comparsas da facção criminosa que controlava o morro. Ele foi atingido por um tiro nas costas, sinal de que, de acordo com o pai, foi uma troca de comando forçada. Ele contou que este é o segundo filho que morre envolvido com o tráfico de drogas. Há cerca de dez anos, um outro filho, Daniel Jaccoud, então com 19 anos, foi morto na Favela da Quitanda. O policial militar reformado, que tem 61 anos, contou que deu tudo para os filhos para que não entrassem na vida do crime.
— Dei um apartamento para cada um deles. O Palmito tinha três carros e duas motos que eu dei pra ele.

Fonte: Extra Online