A Especialista CNN em agronegócio Carmen Perez comentou, neste domingo (14), sobre a mudança no hábito das fazendas de marcar a pele de animais com fogo.

Essa marca é a forma mais antiga de identificação de bovinos em todo o mundo, e é frequentemente usada como prova de propriedade para identificação individual e controle sanitário do rebanho, mas a prática tem sido questionada por especialistas por ser considerada agressiva ao animal.

“Essa marca é na face, um local de muitas terminações nervosas. Estudos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos apontam que o local fica quente por 168 horas com inflamações e danos teciduais”, explicou a Especialista CNN.

Veja mais no vídeo acima

Fonte: CNN Brasil