O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou, neste sábado (24), antes de deixar a França e retornar a Brasília, que vai convidar o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammad bin Salman, para discutir investimentos com o Brasil.

Na sexta-feira (23), Lula cancelou sua participação em juntar que seria oferecido por Bin Salman em Paris. O encontro encerraria a agenda do dia do presidente na capital francesa, que contou com participação na cúpula do Novo Pacto de Financiamento Global, promovida pelo presidente do país, Emmanuel Macron.

“O que eu sabia é que havia uma proposta de ter uma reunião com o príncipe da Arábia Saudita que queria discutir investimentos no Brasil. E eu quero conversar com todas as pessoas que querem fazer investimentos no Brasil, até porque eu quero saber qual é a qualidade do investimento que as pessoas querem fazer. Eu simplesmente não tive condições de participar da reunião”, explicou Lula.

“Ou seja, vou pedir para que o Itamaraty o convoque para ir ao Brasil discutir negócio com os empresários brasileiros. Nós temos muito interesse em que a Arábia Saudita faça investimentos no Brasil, sobretudo na questão da transição energética. Porque nós vamos apresentar um grande projeto ainda neste mês de julho. Então, se a Arábia Saudita tiver interesse de investir no Brasil, pode ficar certa de que o Brasil terá interesse de conversar com a Arábia Saudita. Com quem quer que seja que eles mandem conversar”, prosseguiu.

A justificativa oficial dada pela assessoria de Lula para o cancelamento do compromisso foi o cansaço do presidente diante da agenda lotada nos últimos dias desde que iniciou a viagem oficial à Europa, na Itália.

No entanto, uma fonte do governo afirmou à correspondente da CNN Priscila Yazbek que a possibilidade da reunião repercutir negativamente incentivou a mudança na agenda.

A Arábia Saudita possui um longo histórico de violações aos direitos humanos, inclusive por parte de Bin Salman, apontado como o mandante do assassinato do jornalista crítico ao governo, Jamal Khashoggi.

Lula citou que não está preocupado com a situação das joias, “porque isso não é comigo”.

Segundo o presidente da República, sua preocupação é “se tiver empresários da Arábia Saudita que queiram fazer investimentos no Brasil, o Brasil terá interesse em receber esses empresários, seja através do Ministério da Indústria e Comércio, seja através dos nossos empresários. E conversar da forma mais civilizada possível com o interesse que é inerente ao povo brasileiro. Porque nós precisamos fazer a economia brasileira crescer”, finalizou.

Fonte: CNN Brasil