Palocci nunca foi meu interlocutor com Odebrecht, diz Lula a Moro

Em depoimento ao juiz Sergio Moro, em Curitiba, nesta quarta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que jamais credenciou o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci como interlocutor entre ele e a Odebrecht. “O Palocci não era da direção do PT , o Palocci não era tesoureiro de campanha, portanto, o Palocci não cuidava de dinheiro. Se alguém se apresentava para algum empresário utilizando meu nome, são outros quinhentos. É outra ação que vocês vão ter de mover contra quem se aproveitou do meu nome. Mas nunca foi dada autorização ao Palocci, a quem quer que seja, pra negociar recurso com qualquer empresário nesse país.” 

Lula também afirmou ao Ministério Público Federal durante o depoimento que não participou de reunião com Emilio Odebrecht e a presidente Dilma Roussef (PT) em 30 de dezembro de 2010, penúltimo dia de seu mandato. A citação da reunião consta de uma agenda apresentada por Marcelo Odebrecht aos procuradores. Lula afirmou que essa agenda não existe. A defesa de Lula contestou as perguntas feitas pelos magistrados baseadas nessa agenda, pois sua autenticidade foi questionada pelos advogados. Moro disse que não era o momento de discutir a autenticidade do documento.

O ex-presidente  disse que conversou com Emilio Odebrecht no dia 30 de dezembro. “Eu tinha ido à Bahia inaugurar 1 milhão de contratos do Minha Casa Minha Vida e o Emilio Odebrecht me pediu o seguinte: ‘Presidente, eu tô em Brasília, eu tô passando o comando da empresa para o Marcelo Odebrecht e eu tava querendo ver se a presidente Dilma nos recebia. Eu falei com a Dilma… Não durou 10 minutos essa conversa. Até porque a Dilma estava em fase de preparação, de escolha de ministério, preparação da tomada de posse, que era dia 1º de janeiro. E portanto a Dilma não tinha tempo de fazer agenda”, afirmou Lula.

Veja também

PolíticaDepoimento de Lula a Moro teve tensão, troca de farpas e ironias13 set 2017 – 22h09
Política‘Se a elite tem medo que eu me candidate, pode ficar’, diz Lula13 set 2017 – 20h09
PolíticaA Moro, Lula classifica Palocci como ‘frio’ e ‘calculista’13 set 2017 – 18h09

O processo a que Lula responde apura supostas propinas pagas pela Odebrecht por meio da compra de um apartamento vizinho ao dele em São Bernardo do Campo (SP) e de um imóvel que abrigaria o Instituto Lula, em São Paulo.

(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vagner RosárioVagner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Caminhada pela democracia nas ruas de Curitiba”>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Caminhada pela democracia nas ruas de Curitiba”>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Caminhada pela democracia nas ruas de Curitiba”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lula”>(Rodolfo Buhrer/Reuters)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Paulo Whitaker/Reuters)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Heuler Andrey/AFP)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, chega para depor ao juiz Sérgio Moro na sede da Justiça Federal em Curitiba (PR) – 13/09/2017″>(Heuler Andrey/AFP)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Boneco Moro”>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Boneco Moro”>(Heuler Andrey/AFP)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, chega para depor ao juiz Sérgio Moro na sede da Justiça Federal em Curitiba (PR) – 13/09/2017″>(Heuler Andrey/AFP)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Rodolfo Buhrer/Reuters)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Paulo Whitaker/Reuters)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”>(Guilherme/VEJA.com)” description=”Gleisi Hoffmann”>(Vágner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vágner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vagner Rosário/VEJA.com)” description=”Lava jato”>(Vágner Rosário/VEJA.com)” description=””>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Movimentação em Curitiba, no Paraná, antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 13/09/2017″>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Movimentação em Curitiba, no Paraná, antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 13/09/2017″>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Movimentação em Curitiba, no Paraná, antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 13/09/2017″>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Movimentação em Curitiba, no Paraná, antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 13/09/2017″>(Guilherme Venaglia/VEJA.com)” description=”Movimentação em Curitiba, no Paraná, antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 13/09/2017″>Arquivado em:Política

Fonte: Veja.com