Matt Damon e Russel Crowe acusados de abafar caso de Weinstein

A jornalista Sharon Waxman escreveu em seu site, The Wrap, nesta terça-feira que foi calada durante uma tentativa de denunciar publicamente o assédio de Harvey Weinstein. Segundo o texto, o próprio jornal The New York Times, responsável por publicar as acusações contra o produtor no último dia 5 de outubro, tinha a história em mãos há treze anos.

Matt Damon e Russell Crowe são citados como dois dos artistas que fizeram pressão para que o artigo não saísse à época. “Depois de uma intensa pressão de Weinstein, que incluiu ter Matt Damon e Russell Crowe me ligando diretamente”, escreveu Waxman. “Disseram-me que Weinstein havia visitado a redação do jornal pessoalmente para revelar o seu desagrado. Eu sabia que ele era um grande anunciante no Times, e que ele era uma pessoa poderosa no geral”, continuou. Os dois atores negaram a acusação.

Veja também

EntretenimentoAshley Judd acusa produtor Harvey Weinstein de assédio sexual5 out 2017 – 20h10
EntretenimentoAngelina Jolie e Gwyneth Paltrow somam denúncias contra Weinstein10 out 2017 – 17h10
EntretenimentoAtriz de ‘Desejo e Reparação’ engrossa acusações contra Weinstein10 out 2017 – 08h10

Sharon Waxman conta que viajou a Itália em 2004, quando era uma nova repórter do Times, para investigar denúncias que havia recebido sobre os abusos de Weinstein e descobriu o nome de Fabrizio Lombardo, que comandava o escritório italiano da Miramax e ganhava quantias milionárias sem ter conhecimentos ou uma função ligada ao cinema. Segundo a jornalista, ele estaria ali para realizar favores pessoas de Harvey Weinstein. A matéria acabou saindo sem nenhuma denúncia de assédio sexual e tratou apenas de um funcionário demitido da companhia que pertencia à Disney. “O editor da Times, Jon Landman, agora no Bloomberg, achou que a história não era importante, perguntando-me por que isso importava”, escreveu Sharon.

EM DEFESA DE MATT DAMON

Após a denúncia feita pela jornalista Sharon Waxman no site The Wrap, a atriz Jessica Chastains, que contracenou com Matt Damon em Perdido em Marte, saiu em defesa do colega de profissão. “Eu acredito que Matt foi manipulado. Passei um tempo com ele no Martian e ele é um cara muito bom”, escreveu a artista no Twitter.

Ao site Deadline, o ator negou as acusações de ter pressionado Waxman a não publicar o artigo contra o produtor. Segundo o artista, a ligação para a jornalista aconteceu a pedido de Weinstein, porém, para confirmar suas experiências profissionais com Lombardo, já que a matéria iria expor a falta de conhecimento dele no ramo. “Eu fiz cinco ou seis filmes com Harvey. Eu nunca vi isso. Todos estão dizendo que nós sabíamos, mas isso não é verdade. Esse tipo de predação acontece atrás das portas fechadas e longe do olho do público”, se defendeu.

Sharon Waxman se pronunciou sobre a resposta de Matt Damon e confirmou que ele não havia sido informado do teor da matéria, dando a entender que ele teria sido manipulado por Harvey Weinstein.

I endorse Matt Damon’s statement. He called me briefly,wasn’t informed – nor shld he have been – abt investigative aspect of piece. @thewrap https://t.co/kTbOdYY7C8

— Sharon Waxman (@sharonwaxman) October 10, 2017

I believe that Matt was manipulated. I’ve spent time with him on The Martian and he’s a really good guy. https://t.co/waTdWDJjlw

— Jessica Chastain (@jes_chastain) October 10, 2017

Russell Crowe ainda não se pronunciou sobre o caso.

THE NEW YORK TIMES

O jornal americano se manifestou sobre as acusações da jornalista Sharon Waxman nesta segunda-feira com um texto do atual editor executivo, Dean Baquet. Leia na íntegra:

“Eu não estava aqui em 2004. Mas é inimaginável para mim que o The Times tenha matado uma história por causa da pressão de Harvey Weinstein, que era e é um anunciante. Afinal, o The Times é uma instituição que publicou relatórios de investigação que fizeram com que o nosso site em língua chinesa fosse bloqueado na China. Os dois melhores editores da época, Bill Keller e Jill Abramson, dizem que não se lembravam de serem pressionados pela história da Sra. Waxman. E seu editor direto, Jonathan Landman, sugeriu que não o tinha pregado. A história que publicamos na semana passada levou meses de trabalho por dois repórteres investigados experientes. Ele incluiu os depoimentos de numerosas mulheres que foram assediadas pelo Sr. Weinstein. Também incluiu o fato de que o Sr. Weinstein pagou acordos para evitar que as mulheres falassem. Tenho certeza de que a Sra. Waxman acredita que ela teve uma história. Mas se você leu sua própria descrição, ela não tinha nada perto do que foi revelado em nossa história. Principalmente, ela tinha um relato feito em off por uma mulher”.

Arquivado em:Entretenimento

Fonte: Veja.com