Ponte Preta só vê vitória contra o lanterna como alternativa para evitar crise

Cobrado pela irregularidade da Ponte Preta no Campeonato Brasileiro e pela derrota para o Sport por 3 a 1, na quarta-feira passada, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, só restou uma alternativa para o técnico Gilson Kleina: vencer o lanterna Atlético Goianiense, neste sábado, às 21 horas, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela 24.ª rodada.

Sem contar que na última vez que atuou em casa o time campineiro perdeu para o Atlético Mineiro, por 2 a 1. Precisa, portanto, da reabilitação para se manter distante da zona de rebaixamento. No momento está em 13.º lugar, com 28 pontos. São apenas dois na frente do Vitória, o primeiro dentro da zona de queda.

O próprio Atlético Goianiense já deixou Gilson Kleina em situação delicada no primeiro turno, quando a Ponte Preta perdeu por 3 a 0, em Goiânia, pela quinta rodada. Desde então, o adversário já era o lanterna. Ficou fácil entender a necessidade da vitória. Para depois, com moral elevado, tentar fazer 2 a 0 em cima do Sport e avançar às quartas de final da Copa Sul-Americana.

O próprio Gilson Kleina reconhece este momento delicado. “Estamos numa situação desconfortável. Mas a pressão por resultados é normal no futebol e tenho a convicção de que vamos melhorar, corrigir os erros e vencer”. São duas chances seguidas para ganhar em casa, diante da torcida. E para ele manter o cargo, embora já tenha admitido uma sondagem da Chapecoense.

Em relação ao time, sobram segredos. Mas, desta vez, ninguém deve ser poupado, nem mesmo o meia Renato Cajá. Ele tem entrado durante os jogos, mas agora deve começar jogando ao lado de Emerson Sheik, poupado no jogo no Recife. Os dois voltam a jogar juntos. Curiosamente isso ocorreu na sexta rodada, na vitória por 3 a 2 sobre a Chapecoense.

Renato Cajá entraria na vaga do volante Elton, suspenso com três cartões amarelos. O time passaria a atuar apenas com dois volantes: Naldo e Fernando Bob. O outro meia seria Emerson Sheik, dando mais qualidade ao toque de bola e na criação. No ataque ficariam o rápido Felipe Saraiva e o atacante Lucca, em jejum de gols embora seja o artilheiro do time com 10 gols. Léo Gamalho iria para a reserva, mesmo porque tem entrado bem nos últimos jogos.

Pela manhã houve um treino tático, o único após a volta da delegação de Pernambuco. Mas com portões fechados para manter o mistério. Os portões estarão abertos neste sábado para receber os torcedores, afinal os ingressos terão preços promocionais: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). A diretoria optou pela promoção pelo horário impróprio. Em princípio, o jogo estava marcado para as 16 horas, mas foi alterado para ampliar o período de descanso dos pontepretanos.

Fonte: ISTOÉ Independente