Ponte decepciona em casa, Atlético-GO vence e eleva esperança contra rebaixamento

A Ponte Preta voltou a decepcionar sua torcida, nesta noite de sábado, ao perder para o lanterna Atlético-GO por 3 a 1, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, no jogo válido pela 24.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com um futebol desorganizado, o time paulista não mereceu melhor sorte e continua com 28 pontos, em 13.º lugar. Já vinha de derrota em casa para o Atlético-MG, por 2 a 1. Mesmo com a merecida vitória, o time goiano permanece em último lugar, agora com 22 pontos. A equipe de Goiânia, porém, somou dez destes pontos em cinco jogos no returno e elevou a sua esperança de escapar do rebaixamento nesta segunda metade da competição nacional.

Antes tido para muitos como um “virtual rebaixado”, o Atlético-GO agora se vê a apenas cinco pontos do primeiro time fora da zona de descenso, que é o Coritiba, atual 16º colocado e que na segunda-feira enfrenta o Palmeiras, em São Paulo, no confronto que fechará essa 24ª rodada.

O JOGO – No jogo deste sábado, ao contrário do que se esperava, o visitante criou as principais chances de gol no começo. Logo aos cinco minutos, Walter finalizou e Aranha defendeu. O goleiro da casa voltaria a trabalhar em outras quatro oportunidades. Na melhor delas, Luiz Fernando invadiu a área e chutou em cima do camisa 1 alvinegro.

Enquanto isso, a Ponte Preta tinha dificuldades para escapar da marcação, tanto que sua primeira boa oportunidade aconteceu apenas aos 36 minutos. Lucca arriscou de fora da área e Marcos foi buscar, espalmando para escanteio. Aos 42 minutos, após escanteio, Luiz Fernando, livre de marcação, finalizou de primeira no canto esquerdo de Aranha.

O time pontepretano foi para os vestiários debaixo de vaias e aos gritos de fora Kleina, técnico criticado pela torcida pela pressão sofrida nesta etapa inicial. E a pressão motivou o comandante a voltar para o segundo tempo com uma alteração na equipe. Ele promoveu a entrada do meia Renato Cajá no lugar do atacante Felipe Saraiva.

Para acalmar a fúria de seus torcedores, a Ponte conseguiu o empate já no primeiro minuto da etapa final. Após levantamento na área, o goleiro Marcos rebateu nos pés do zagueiro Willian Alves e a bola ainda teria resvalado no atacante Léo Gamalho antes de entrar na meta. Na dúvida, a arbitragem anotou o gol para o atacante.

Este gol aliviou a pressão em cima do time campineiro, que passou a trocar a bola com mais facilidade. Cajá e Emerson Sheik, este atuando também como meia, apareciam bem em campo. Mas o time não chegava com perigo na frente.

Para piorar a situação da equipe da casa, o Atlético fez o segundo gol aos 22 minutos. Bruno Pacheco cruzou em curva e Walter se antecipou a Danilo Barcelos para testar firme no canto direito de Aranha. Este foi o segundo gol do atacante na competição. Tinha feito um gol na derrota por 4 a 1 para o Coritiba na primeira rodada.

Aos 34 minutos, Marcos garantiu a vitória ao fazer uma defesa espetacular. Após escanteio, Marllon desviou de cabeça e a bola sobrou na pequena área para Lucca. Ele deu o toque, mas Marcos saltou e espalmou.

A Ponte Preta corria em busca do empate, mas de forma desordenada. Nos acréscimos, o goleiro Aranha tentou ir na área adversária para aproveitar uma cobrança de escanteio e possivelmente conseguir a igualdade com um gol de cabeça, aproveitando a sua estatura. Mas a defesa rebateu a cobrança e Walter lançou Ronaldo, que, quase do meio de campo, chutou em direção ao gol para fechar o placar.

Os dois times só voltam a campo pelo Brasileiro no próximo dia 24, às 16 horas. A Ponte Preta enfrenta a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó, enquanto o Atlético receberá o Cruzeiro, em Goiânia. Antes disso, na quarta-feira, a Ponte Preta faz o jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana diante do Sport. O objetivo é vencer por 2 a 0 para reverter a derrota por 3 a 1 sofrida em Recife.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 1 X 3 ATLÉTICO-GO

PONTE PRETA – Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Luan Peres e Danilo Barcelos; Naldo, Elton (Maranhão) e Emerson Sheik; Felipe Saraiva (Renato Cajá), Léo Gamalho e Lucca. Técnico: Gilson Kleina.

ATLÉTICO-GO – Marcos; Jonathan, William Alves, Gilvan (Eduardo Bauermann) e Bruno Pacheco; Ronaldo, Igor, Paulinho (Niltinho), Andrigo e Luiz Fernando (Jorginho); Walter. Técnico: João Paulo Sanches.

GOLS – Luiz Fernando, aos 42 minutos do primeiro tempo; Léo Gamalho, a 1, Walter, aos 22, e Ronaldo, aos 47 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Bráulio da Silva Machado (SC).

CARTÕES AMARELOS – Elton e Naldo (Ponte Preta). Ronaldo e Walter (Atlético-GO).

RENDA – R$ 43.930,00.

PÚBLICO – 5.264 pagantes.

LOCAL – Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Fonte: ISTOÉ Independente