Matheus Jesus lamenta recepção contra a Ponte e mantém Santos na briga por título

O empate por 1 a 1 diante da Ponte Preta na última quinta-feira, em Campinas, pelo Campeonato Brasileiro, não era o resultado esperado pelo Santos. A igualdade aliada à vitória do Corinthians sobre o Coritiba fizeram com que a distância do time da Vila Belmiro para o líder subisse para dez pontos – 58 a 48 – e o sonho do título ficasse mais distante. O volante Matheus Jesus, no entanto, ainda vê a equipe viva nesta disputa.

“Já era difícil, mas não é impossível. Faltam 11 rodadas, são dez pontos, mas nossa meta é terminar o campeonato invicto. Pegamos dois jogos fora de casa, vitória no clássico com o Palmeiras e saímos com empate com a Ponte lá, onde é sempre difícil jogar. Buscamos a vitória sempre, mas o Aranha fez uma grande partida. Então, é levantar a cabeça. Jogamos muito bem, mas eles também têm uma boa equipe”, disse em entrevista nesta sexta-feira.

Matheus deixou claro que o Santos pensa apenas em seus compromissos. A meta é manter a invencibilidade até o fim do campeonato e, então, ver o objetivo em disputa. “Um time com a grandeza do Santos tem que brigar pelo título. Mas nossa meta é terminar o campeonato invicto. Se conseguirmos isso, vamos ver no fim o que acontece.”

Em seu segundo jogo como titular do Santos, Matheus Jesus viveu situação inusitada. Encarando seu ex-clube, chegou a ser vaiado pela torcida da Ponte e foi alvo de algumas entradas mais duras dos jogadores adversários. A recepção no retorno ao Moisés Lucarelli não foi a esperada, mas o jogador tentou tratar a questão com naturalidade.

“Acho que a recepção não foi das melhores. Eu realmente não esperava aquilo tudo, mas enfim, são torcedores. Eles sabem apenas o que a Ponte Preta contou para eles. Mas na partida, isso é do calor do jogo. A Ponte está em uma situação difícil, os jogadores queriam a vitória, entraram no jogo com pegada, sem nenhum problema. É coisa do jogo”, considerou.

Fonte: ISTOÉ Independente