Flu terá de superar perda da Libertadores de 2008 para bater LDU na Sul-Americana

No duelo contra a LDU, do Equador, nesta quinta-feira, às 19h15, no estádio do Maracanã, no Rio, pela rodada de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana, o Fluminense não lutará somente pela permanência no torneio continental. Para o torcedor tricolor, será uma oportunidade de superar, ao menos em parte, o trauma pela perda dos títulos da Copa Libertadores de 2008 e da própria Sul-Americana do ano seguinte para a equipe equatoriana.

Muitos torcedores não se esquecem daquela noite de 2 de julho, no Maracanã tomado por quase 80 mil pessoas, quando o Fluminense deixou escapar o que seria o primeiro título da Libertadores do clube em sua história nas cobranças de pênaltis – o time carioca havia vencido no tempo normal por 3 a 1, revertendo uma desvantagem depois de derrota por 4 a 2, em Quito.

O elenco atual é completamente diferente daquele de quase 10 anos atrás, mas os jogadores da atualidade sabem que o confronto tem um componente especial. O atacante Henrique Dourado confirmou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, que o aspecto emocional pesará na atuação da equipe.

“Eram outros jogadores que estavam aqui, mas nós temos ciência porque somos nós que vestimos a camisa do Fluminense hoje. Temos que nos colocar na pele de quem estava, mas também não podemos deixar com que isso nos atrapalhe. Nossa atitude vai ser fundamental nessa partida”, avaliou Henrique Dourado.

O técnico Abel Braga terá um desfalque importante para o compromisso desta quinta-feira. O zagueiro e capitão Henrique está fora devido à uma lesão no bíceps femural da coxa esquerda (contusão ocorrida no empate da equipe carioca contra o Vitória, em Salvador, pelo Brasileirão), detectada em um exame de imagem realizado nesta semana. Nogueira, Reginaldo e Frazan são concorrentes à vaga.

Já o treinador uruguaio da LDU, Pablo Repetto, tem como um dos principais nomes no elenco o argentino Hernán Barcos, atacante bastante conhecido pela torcida brasileira devido às passagens por Palmeiras e Grêmio. O centroavante não integrava a equipe campeã da Libertadores de 2008 – ele chegou ao clube dois anos depois e participou do título da Recopa Sul-Americana daquele ano.

Fonte: ISTOÉ Independente