1 de 3
Lucio Yanel é um dos músicos a se apresentar. — Foto: Paulo Pasa/Divulgação

Lucio Yanel é um dos músicos a se apresentar. — Foto: Paulo Pasa/Divulgação

Começa nesta quinta-feira (9) e segue até o domingo (12) a terceira edição do Festival de Música de Nova Prata. Este ano, o evento acontece em formato híbrido e terá apresentações na Praça da Bandeira e transmissões pela internet. Integram a programação Yangos, Fernando do Ó e Zé Montenegro, Lúcio Yanel, Garra e Alma, Thayan Martins Quarteto e Felipe Karam Quarteto.

O festival terá ainda atividades formativas e duas noites com apresentações musicais, além da Mostra Paralela, que este ano contará com quatro clipes de bandas residentes no Rio Grande do Sul selecionadas através de votação popular.

Com o intuito de promover e difundir a produção de música instrumental e autoral do estado, o festival já contou com duas edições, em 2015 e 2017, além de edição especial online e com bandas locais, em maio deste ano.

A programação formativa conta com quatro atividades. Nesta quinta, às 19h, André Brasil ministra oficina online de Produção Musical. Já na sexta (10), às 10h e às 15h os alunos das escolas de ensino médio e fundamental participam das oficinas Uma Breve História da Música Brasileira, com Deise Coccaro e Lucas Volpatto e Ritmos do Sul, com César Casara e Tomás Savaris, do grupo Yangos. Encerrando a série formativa, o violonista Jonathas Ferreira apresenta às 19h o workshop Fingertab Method – Entendendo o violão fingerstyle pela tablatura pela plataforma zoom.

Apresentações

2 de 3
Grupo Yagos — Foto: Cristian Beltran/Divulgação

Grupo Yagos — Foto: Cristian Beltran/Divulgação

Abrindo a programação musical no sábado (11), às 19h, o palco montado na Praça da Bandeira recebe o grupo Yangos, de Caxias do Sul, que na primeira edição do festival, participou da Mostra Paralela. Yangos faz a união do piano, percussão, acordeon e violão um encontro potente, adicionando pitadas de jazz a milongas, chamamés e chacareras. O quarto álbum do grupo, lançado em 2017, foi indicado ao Grammy Latino.

Às 20h, o público poderá conferir um encontro inédito de Fernando do Ó e Zé Montenegro. Fernando é percussionista há 41 anos, acompanhando artistas nacionais e internacionais. Zé Montenegro é baterista há 48 anos e tem como referência seu pai Argus Montenegro, lendário instrumentista e professor da cena musical porto-alegrense, e atua como professor há quase quatro décadas. Amigos há muitos anos, esta será a primeira vez que se apresentam juntos.

Encerrando a primeira noite de performances, o festival recebe o violonista intérprete, autor, compositor, ator e folclorista Lúcio Yanel, considerado um dos alicerces do violão solista na música regional sulina e o violonista com maior produção na história do violão gaúcho.

No domingo, a programação inicia às 18h com o Garra e Alma, duo local de Giovani Chrestani e Ricardo Frizon que tem como protagonista os violões em suas composições, mesclando influências brasileiras, nativistas e folclóricas com gêneros musicais estrangeiros como o flamenco, jazz dentre outros.

Às 19h, um grupo formado por compositoras e musicistas sobe ao palco, com o Thayan Martins Quarteto, navegando instrumentalmente pelos diversos ritmos da cultura popular brasileira, como o choro, samba e coco de roda. Segundo o festival, o quinteto busca empoderar a representatividade feminina na música instrumental através da pluralidade de linguagens e estilos presentes em cada uma das artistas, permitindo-se explorar novos horizontes e dialogar entre si.

Encerrando o evento, às 20h, Felipe Karam Quarteto apresenta o show Água de Santo, trazendo o trabalho autoral mais recente do violinista popular gaúcho e releituras de artistas como Djavan e Dorival Caymmi. No repertório serão apresentados temas instrumentais e autorais de origem brasileira, contendo ritmos e gêneros como choro, samba, chamamé, ijexá e baião.

3 de 3
Felipe Karam — Foto: AfroVulto/Dvulgação

Felipe Karam — Foto: AfroVulto/Dvulgação

Fonte: G1