Lava Jato denuncia secretário de Paes e mais 10 por desvios na Transcarioca

13/09/201717h51O Ministério Público Federal (MPF) no Rio denunciou nesta quarta-feira (13) onze suspeitos de envolvimento em suposto em obras da Prefeitura do Rio na gestão de Eduardo Paes (PMDB), como o corredor de BRT Transcarioca e a recuperação da bacia de Jacarepaguá, na zona oeste.
Entre os denunciados está o que, de acordo com o MPF, teria cobrado propina de empreiteiras em obras de legado da Copa do Mundo e da Olimpíada.
Pinto e outras nove pessoas foram presas no âmbito da operação Rio 40 Graus, desdobramento da Lava Jato, em agosto passado.
A procuradoria denuncia os envolvidos por terem supostamente reproduzido, na secretaria municipal de Obras, esquema semelhante ao que é atribuído ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) no Estado, de cobrança de percentual de propina nos contratos de empreiteiras com o poder público.
Pinto assumiu a secretaria em 2008, o primeiro dos oito anos de Eduardo Paes a frente da prefeitura.
O ex-secretário foi citado em delação premiada de uma funcionária da Carioca Engenharia, empreiteira que atuou em consórcio em um dos lotes da Transcarioca, corredor viário inaugurado em 2014, que liga a Barra da Tijuca ao aeroporto internacional Tom Jobim/Galeão.

Fonte: Folha de S.Paulo