Ceia de Natal para uma pessoa

Você tem razão.

Melhor não forçar reunião natalina este ano. Não é o momento. Haverá outros Natais para curtir com a família… assim esperamos.

Você, assim como outras tantas pessoas prudentes e sensatas, vai passar uma noite de Natal solitária pela primeira vez na vida. Situação inédita, atitudes inéditas. Como lidar com a ceia?

Parece boa ideia passar o dia 24 maratonando os filmes “Duro de Matar” e se embriagando para dormir cedo, mas não é. Vou resistir à tentação de recomendar tal sandice. Já resisti.

Sei que você gosta de Natal e quer uma ceia, que seja uma ceia individual.

As sagradas escrituras não dizem nada a respeito de comer peru e farofa de passas. Não é obrigatório. Você pode comer o que bem entender na ceia, sem ir para o inferno. Lasanha, sushi, feijoada, rabada, buchada, pipoca, sorvete de flocos, leite condensado direto da lata.

OK, você respeita a tradição. Você quer uma comida com cara de Natal. Mas nada de assar um peru inteiro, misericórdia! Você teria de almoçar e jantar peru até fevereiro.

Se vivêssemos nos Estados Unidos, daria para comprar no supermercado uma pizza congelada em forma de árvore de Natal, com cobertura de espinafre e enfeites de pimentão vermelho. Aqui, infelizmente, não temos essa alternativa.

Uma solução simples é fazer um misto quente festivo. Presunto –tender, se tiver–, queijo e abacaxi. Porco com abacaxi é tradição e combina muito.

Avacalhei o Natal? Beleza, vamos para algo mais sofisticado.

Pegue aquele tender –compre um pequeno, sem osso– e corte um pedaço com mais ou menos 100 grama em tiras de 2 cm (comprimento) por 1 cm (largura e altura). Feito bacon. Frite essas tiras no azeite com um pouco de pimenta calabresa e, quando dourar, reserve. Na mesma panela, refogue meia cebola picada até murchar. Acrescente uma lata de tomates e, quando o molho estiver encorpado, ajuste o sal. Cozinhe ¼ de pacote de macarrão.

Sirva a massa com o molho, o presunto crocante, queijo ralado e pimenta-do-reino. Eccolo: um espaguete à amatriciana, versão natalina.

Entendi, você não quer macarrão. Quer algo com mais cara de ceia de Natal.

Você pode pegar o mesmo tender e fazer um arroz molhadinho, com bastante cebola, amêndoas e passas. Ou seguir as instruções da embalagem e comer com batatas. É sem graça, mas cada um, cada um.

Outra possibilidade é partir para o reino das aves, muito prezado nas celebrações de fim de ano. Minhas carnes favoritas são a coxa e a sobrecoxa, que não se ressecam no cozimento.

Desaconselho as coxas de peru, que acho deliciosas. Elas ficam dificílimas de se encontrar, pelo menos em São Paulo, nesta época. Vá de pato –das aves, a mais saborosa– ou mesmo frango. Pode assar, ensopar, fazer do jeito que bem entender, com ou sem passas.

Se a leitura já fez bater o cansaço de cozinhar para uma pessoa na noite de Natal, reconsidere o misto com abacaxi. Ou então peça uma pizza um pouco antes da meia noite.

Para manter o espírito natalino, escolha a pizza Califórnia, com presunto, abacaxi, pêssego e outras frutas em calda. Lembre-se de chamar um pizza para o entregador também, cai bem na véspera de Natal. Para ele, muçarela. Vai que o cara é vegetariano…

(Siga e curta a Cozinha Bruta nas redes sociais.  Acompanhe os posts do Instagram, do Facebook  e do Twitter.)

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook