Air France fecha filial low-cost que voava para o Brasil um ano após lançamento

A companhia aérea Air France anunciou nesta quinta-feira (10) que vai fechar a sua empresa de viagem a baixo custo Joon. A nova marca do grupo, que tinha o Brasil entre suas rotas, não conquistou a clientela esperada um ano após sua inauguração.

A Joon foi apresentada como sendo uma criação híbrida, entre low-cost (baixo custo) e companhia tradicional, que começou a operar em dezembro de 2017 com quatro destinações na Europa. A ideia era reconquistar o tráfego aéreo perdido pela Air France nos últimos anos para os concorrentes de baixo custo, como Easyjet e Ryanair.

Sua atividade fora do continente europeu começou este ano com dois voos semanais para Fortaleza, no Brasil. A empresa havia prometido tarifas para a capital cearense a partir de 249 euros (cerca de R$ 929). Ambiciosos, os idealizadores previam voar em 2019 para as ilhas Seychelles.

Mas o otimismo durou pouco mais de um ano. “A multiplicidade de marcas deixou o cenário muito complexo e infelizmente enfraqueceu a potência da marca Air France”, explicou a companhia.

A Joon emprega 600 comissários de bordo que ganhavam, em média, 40% menos que os colegas da Air France. Segundo a empresa, os funcionários serão absorvidos pela matriz, mas a direção ainda não deu detalhes sobre as condições dessa transferência, que deve começar em abril. Também não se sabe se todas as rotas da Joon serão operadas a partir de agora pela Air France ou se serão suprimidas.

“Desde o início os clientes, os funcionários, os mercados e os investidores não entendiam muito bem [o conceito] da marca”, explicou nessa quinta a direção da Air France.  

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook