Os brasileiros que superaram o ‘ensino massificador e chato’ e viraram campeões da matemática

Direito de imagemDivulgação/Impa.

Artur Avila foi o primeiro brasileiro ganhador da medalha Fields, uma espécie de ‘Nobel da matemática’ O que une um rapaz da zona sul do Rio e uma moça da zona rural que passou oito anos como noviça?

A distância entre eles diminui graças à paixão por números: o garoto da zona sul, Artur Avila, se transformou no primeiro brasileiro ganhador da medalha Fields, uma espécie de Nobel para matemáticos até 40 anos; a moça, Lucy Degli Esposti Pereira, desistiu de ser freira, voltou a estudar e abocanhou quatro medalhas em concursos nacionais.
Mas casos assim ainda são exceção. O abismo da matemática no Brasil persiste, e os resultados do país nos exames internacionais são sofríveis.

Por que sindicatos que queriam abolir CLT nos anos 80 agora reclamam de sua ‘destruição’Prática de retirar camisinha sem consentimento no sexo gera debate sobre violência sexualDados de 2015 mostram que 70,3% dos estudantes brasileiros de 15 e 16 anos estão abaixo do chamado nível 2 em matemática no exame do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), avaliação realizada pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Fonte: BBC