As 3 grandes incógnitas sobre a Assembleia Constituinte convocada na Venezuela

Direito de imagemReuters.

O presidente Nicolás Maduro disse que Constituinte terá representantes de ‘setores’ e ‘territórios’ Na última segunda-feira, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou uma Assembleia Nacional Constituinte para “redigir uma nova Constituição” com a missão de “reformar o Estado”.

A medida gerou duras críticas da oposição, que a viu como “a consumação de um golpe de Estado” e uma forma de o chavismo se manter no poder após a derrota nas eleições legislativas do final de 2015.
Em parte, as críticas foram reforçadas pelas incertezas sobre a convocação. Nem mesmo a publicação do decreto de convocação da Assembleia, com apenas dois artigos e nove propostas, esclarece as dúvidas que pairam no ar.

Sabe-se, basicamente, que a Constituinte terá 500 membros.
O governo disse que a oposição poderia propor “recomendações”, isso em meio à escalada da onda de protestos contra Maduro, que dura mais de um mês e já deixou 30 mortos e centenas de feridos – e poucos dias depois de o país anunciar sua saída da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Fonte: BBC