Alvo de ação criminal, presidente da Petrobras Bolívia cumpre prisão domiciliar

Direito de imagemDivulgação/Agência Petrobras.

Construção de trecho do gasoduto Bolívia-Brasil; Petrobras afirma que disputa na Justiça boliviana tem natureza estritamente comercial O presidente da Petrobras Bolívia, o brasileiro Marcos Benício Pompa Antunes, está cumprindo prisão em regime domiciliar em Santa Cruz de la Sierra desde o dia 22 de março por causa de uma ação criminal que corre na Justiça boliviana.

A Petrobras confirmou à BBC Brasil a prisão de Antunes, mas afirmou, por meio de nota, que “a disputa tem natureza estritamente comercial, tendo sido indevidamente levada à Justiça criminal naquele país”.
A ação contra a subsidiária da Petrobras está sendo movida desde outubro pela Vialco, uma companhia privada boliviana contratada para prestar um serviço de terraplanagem para perfuração de poço no Bloco San Antonio.

Cinco motivos que levaram o Rio à pior crise de segurança em mais de uma década As 3 grandes incógnitas sobre a Assembleia Constituinte convocada por Maduro na VenezuelaEnquanto a Vialco quer que a Petrobras Bolívia pague o valor que havia sido inicialmente estimado para o serviço – cerca de US$ 9,5 milhões (R$ 30 milhões) -, a estatal brasileira afirma que o acordo previa apenas o pagamento por serviços medidos, aprovados e executados.

Fonte: BBC