A imigrante de 90 anos que está fazendo renascer o cultivo de chá no Vale do Ribeira

Direito de imagemKatiuska Sales.

Chá preto é produzido há duas gerações na família de Elizabete Shimada Aos 90 anos, dona Elizabete Ume Shimada gosta de ver o amanhecer “na roça”. Por isso, acorda antes do sol raiar e já vai para a plantação de chás, onde prepara as mudas e ainda colhe manualmente as folhas para uma produção de pequena escala, mas que vem promovendo a retomada do plantio em Registro, no interior de São Paulo – cidade que já foi conhecida como a “capital do chá” no Brasil.

Em 2014, depois de quatro anos de intervalo sem ter para quem vender o chá preto produzido há duas gerações na sua família, dona Shimada – ao lado dos seis filhos, com 13 netos e seis bisnetos – recuperou a plantação de chá então tomada por pragas, investiu em uma produção independente e lançou, em 2015, o Obaatian – O Chá da Vovó.
A produção de apenas 20 quilos mensais é pequena, mas promissora, e já ajudou a incentivar outros produtores da região do Vale do Ribeira, onde fica Registro.

Fonte: BBC