A cantora que resolveu desafiar o machismo da música regionalista gaúcha

Direito de imagemDivulgação.

Conhecida no universo da música tradicional gaúcha, Shana Müller abriu debate ao criticar machismo em canções “Ajoelha e chora / quanto mais eu passo o laço / muito mais ela me adora”, diz a música regionalista do Rio Grande do Sul, famosa na interpretação do grupo Tchê Garotos.

Embora popular no cancioneiro gaúcho, esse tipo de letra com referências tidas por muitos como pejorativas à mulher entrou na berlinda neste mês após uma crítica de uma artista desse mesmo meio musical.
“Toda vez que cantamos letras assim alimentamos e incentivamos situações de preconceito e maus-tratos contra as mulheres”, diz cantora e jornalista Shana Müller, de 37 anos.

A invenção latino-americana que revolucionou a menstruação de milhares de meninas em todo o mundo11 coisas que as mulheres não aguentam mais ouvir no Brasil (e por quê)”Está na hora de os artistas darem uma revisada no repertório. O mundo de hoje não aceita mais os velhos e maus costumes”, completa.
Müller é uma das representantes de uma geração de cantores de música regionalista gaúcha que ganhou destaque nos anos 2000.

Fonte: BBC