Protesto contra Lei de Migração foi feito por ‘gatos pingados’, diz ministro

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, disse hoje (5), em São Paulo, que o protesto contra a Lei de Migração – ocorrido na Avenida Paulista esta semana e que levou à prisão quatro pessoas, entre refugiados, ativistas e imigrantes – foi provocado por “meia dúzia de gatos pingados”.
“Acho que foi uma meia dúzia de gatos pingados, de radicais de extrema direita que não terá maior repercussão”, disse.
Os quatro ativistas foram presos na noite de terça-feira (2) após uma briga com um grupo que protestava contra a nova Lei de Migração, na Avenida Paulista. Entre os detidos estavam o refugiado sírio Nour Alsayyd e o empresário palestino Hasan Zarif. Eles foram liberados no dia seguinte após uma audiência de custódia, mas com restrições: não poderão deixar a cidade de São Paulo por mais de 15 dias sem autorização e foram impedidos de participar de manifestações relacionadas à nova Lei de Migração. Caberá ao Ministério Público decidir se haverá andamento do processo contra eles.
Segundo o boletim de ocorrência, os manifestantes pertenciam a grupos de extrema-direita e acusaram os estrangeiros de terem lançado uma bomba contra o protesto, ferindo um militante. A partir daí, de acordo com o relato, teria havido uma troca de agressões que envolveu ainda os brasileiros Roberto Freitas e Nikolas Silva, que também acabaram detidos.

Fonte: Agência Brasil