MPs no Rio vão acompanhar investigações de casos de intolerância religiosa

Os ministérios públicos estadual e federal do Rio de Janeiro vão atuar juntos para acompanhar as investigações de casos de intolerância religiosa no estado. Esta semana, vieram a público dois vídeos nas redes sociais em que traficantes aparecerem coagindo religiosos para destruir imagens em terreiros de religiões de matriz africana. Um caso foi em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e o outro na Ilha do Governador, na zona norte da capital.
Com a repercussão das imagens, que provocou indignação e repúdio, procuradores se reuniram hoje (15) com religiosos para estabelecer as ações. O MPF decidiu instaurar uma notícia-fato para averiguar se há omissão por parte do Poder Público no combate aos crimes. A reunião também teve a participação do secretário Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do governo federal, Juvenal Araújo Júnior.
Entre julho até esta semana, o Disque Combate ao Preconceito, um serviço do governo estadual, recebeu 32 denúncias de intolerância em todo o estado do Rio, dos quais oito ocorreram no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI) tem defendido a criação de uma delegacia específica para registrar corretamente casos e gerar dados estatísticos para mapear os crimes, mas ainda não há previsão de instalar a unidade, segundo a Secretária de Segurança.

Fonte: Agência Brasil