MP faz ação para prender sócios de refinaria clandestina

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Gaeco) e a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente da Polícia Civil do Rio cumprem hoje (5) mandados de prisão preventiva contra dois empresários paulistas, identificados como sócios de uma refinaria clandestina.
Também são cumpridos mandados de busca e apreensão em locais apontados como sede de uma outra refinaria e de uma transportadora, ambas utilizadas pela quadrilha em São Paulo.
A ação é um desdobramento da Operação Ouro Negro que prendeu, em março, integrantes de uma quadrilha encarregada de desviar combustível e petróleo dos dutos da Transpetro, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense para revenda ilegal.
A operação de hoje conta com o apoio do Ministério Público de São Paulo. Foram denunciados à Justiça os irmãos Anderson Daniel Espego e Adelcio Rogério Espego pelos crimes de organização criminosa para a prática de furto qualificado de combustível e de petróleo cru. Os dois são apontados como administradores da Superoilbras.
Durante a Operação Ouro Negro, foram encontrados na empresa mais de um 1,5 milhão de litros de petróleo. Segundo a denúncia, os irmãos recebiam o petróleo e o refinavam sabendo da origem ilegal.

Fonte: Agência Brasil