Brasil e 7 países latino-americanos criticam uso da força na Venezuela

Os confrontos entre manifestantes e a polícia causaram 35 mortes na Venezuela em abril Arquivo/Miguel Gutierrez/EPA/Agência Lusa/direitos reservados.

O Brasil, em conjunto com a Argentina, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México e Paraguai, divulgou comunicado no qual critica “a deterioração da situação interna e o recrudescimento da violência na Venezuela”.
A nota reitera a importância de a Venezuela “cumprir o calendário eleitoral, libertar os presos políticos, restituir as funções da Assembleia Nacional democraticamente eleita, bem como garantir a separação dos poderes”. Tais medidas são, segundo os países, necessárias para estabilizar o país.
Como membro do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, a Venezuela tem, segundo o comunicado “a obrigação de aplicar as normas mais estritas sobre a promoção e a proteção dos Direitos Humanos, em cumprimento dos compromissos e obrigações derivados dos tratados internacionais de Direitos Humanos que assinou e ratificou”.

Saiba MaisMP venezuelano diz que 35 pessoas já morreram por violência em protestosOEA analisa texto do Parlamento venezuelano anulando a saída do país da entidade
Perda de vidas
O comunicado condena o uso excessivo da força por parte das autoridades venezuelanas contra a população civil. Segundo o texto, a violência polariza ainda mais a sociedade venezuelana e causa a perda de vidas humanas, em sua maioria de pessoas jovens.

Fonte: Agência Brasil